MENU

Grêmio vence o Liverpool-URU e entra no Grupo 2 da Libertadores

Grêmio vence o Liverpool-URU e entra no Grupo 2 da Libertadores

Atualizado: Quinta-feira, 3 Fevereiro de 2011 as 8:20

"Soy loco por tri América", dizem os gremistas desde 1995, sempre que o clube chega à disputa de mais uma Taça Libertadores. Naquele ano, o clube gaúcho conquistou seu segundo título. A frase é um trocadilho com a música celebrizada por Caetano Veloso, usada para reiterar aos tricolores a incessante busca pelo tricampeonato da maior competição de clubes do continente. E ela já pode ser entoada pelos torcedores novamente e graças a um camisa 7, curiosamente o mesmo número consagrado pelo atual técnico Renato Gaúcho quando brilhava como jogador. Vinícius Pacheco, com dois gols, foi o nome do jogo nesta quarta-feira. De virada, o Grêmio venceu o Liverpool-URU por 3 a 1, no Estádio Olímpico, e garantiu vaga no Grupo 2 da Taça Libertadores - onde o aguardavam o boliviano Oriente Petrolero, o colombiano Junior Barranquilla, e o peruano León de Huánuco.

Emiliano Alfaro abriu o placar para os uruguaios, e André Lima fez o outro gol tricolor. A estreia no Grupo 2 será no dia 17 de fevereiro, às 19h45m - novamente em Porto Alegre - contra o Oriente Petrolero-BOL.

Confusões do início ao fim

Uma hora antes do início da partida houve um apagão. Por onze minutos o Olímpico ficou totalmente sem luz. Talvez neste momento de blecaute o roupeiro do Liverpool tenha se atrapalhado, porque os jogadores Juan Alvez e Carlos Macchi entraram em campo, ambos, com camisas de número 14. Alvez, inscrito como o 22, colocou a camisa certa quando a arbitragem percebeu o problema, aos oito minutos.

Mas além do rouperio, do Juan Alvez, do Carlos Macchi e do juiz Sergio Pezzotta, o Grêmio também começou se atrapalhando. Demasiadamente acelerados, os jogadores erravam passes e desorganizavam a equipe com uma correria maluca.

No primeiro bom lance concatenado, Lúcio recebeu de Rochemback e deixou André Lima dentro da pequena área, sem goleiro. O centroavante tricolor, no entanto, passara da linha da bola. De esquerda tentou alcançá-la, mas o chute foi para fora. Incrível. Dois minutos depois Douglas enfileirou os uruguaios e chutou sobre o goleiro Matias Castro.

Equilibrada a partida, mantendo o Grêmio distante da área no 4-4-2 em duas linhas, o Liverpool-URU arriscou um contra-ataque. E foi perfeito. Figueredo recém substituíra Montero, lesionado. Ele lançou Alfaro, que disparou de esquerda, marcando um golaço: 1 a 0, aos 32.

Não houve tempo para muita euforia entre os aproximadamente 400 torcedores do Liverpool. Cinco minutos depois, Fábio Rochemback reprisou lance ensaiado e executado com sucesso à exaustão no Grêmio: cobrou falta na cabeça de André Lima, que empatou. Vinícius Pacheco já estava em campo, substituindo Adilson.

A camisa 7, mítica

Apesar dos erros persistirem, o Grêmio soube lidar com eles. E definiu a classificação no segundo tempo. De início, Michel Acosta foi expulso por falta violenta sobre André Lima. O meia do Liverpool-URU sequer tinha cartão amarelo, e levou vermelho direto.

Aos 12, a virada chegou graças ao capitão Fábio Rochemback. Ele foi passando pelos adversários, na força, na trombada, e com categoria deixou Pacheco de frente para Castro. O camisa 7, responsável por representar em campo uma camisa que foi usada por Renato Gaúcho nos títulos da Libertadores e do Mundial de 1983, colocou no cantinho, com categoria.

E os efeitos sobrenaturais da camisa 7, com Renato Gaúcho à beira do campo, persistiram. Aos 28 o mesmo Vinícius Pacheco apanhou um rebote. Fora da área ele ajeitou o corpo, passou a bola para a preferencial perna esquerda, e mirou o ângulo. No limite. A bola ainda bateu no poste direito antes de entrar: 3 a 1, placar final.

Próximo jogo

No sábado, às 17h, o Grêmio recebe o Caxias no Estádio Olímpico, pela sexta rodada do primeiro turno do Campeonato Gaúcho. Renato Gaúcho deve escalar time com maioria de reservas.

Por: Eduardo Cecconi

veja também