MENU

Guga apoia troca de piso no Brasil Open para atrair tenistas do top 10

Guga apoia troca de piso no Brasil Open para atrair tenistas do top 10

Atualizado: Quarta-feira, 23 Fevereiro de 2011 as 1:43

Gustavo Kuerten deixou claro que é a favor da mudança de piso no Brasil Open, torneio atualmente disputado sobre o saibro, na Costa do Sauípe, Bahia. O ex-número 1 do mundo afirmou que a alteração da superfície seria positiva para a competição e valorizaria mais o evento, já para alguns atletas, nem tanto.

- Se eu estivesse na ativa, não gostaria de mudança. Mas, se eu fosse um dos organizadores, mudaria o piso para ter mais opções de atrair tenistas do top 10 - disse Guga ao jornal espanhol "Marca".

O conflito de interesses entre tenistas e organizadores do Brasil Open acontece em função de haver uma tendência do piso de terra batida - composto por argila - predominar no início da temporada. Como a superfície é um dos pontos mais relevantes para cada atleta definir seu próprio calendário de jogos, as competições no saibro muitas vezes ficam em segundo plano, pois esse tipo de piso deixa o jogo mais lento e disputado do que em uma quadra de grama ou asfalto.

Ao contrário de Guga, o espanhol Nicolas Almagro, recente vencedor na Costa do Sauípe e Buenos Aires, e recordista de nove títulos, todos no saibro, faz oposição a qualquer modificação.

  - Eu não entendo porque eles querem mudar. América Latina sempre foi assim e por isso gostaria de continuar para sempre. A turnê tem sido no saibro, por isso os organizadores e o ATP teriam que estudá-lo bem. Se você olhar para o calendário, há muitos torneios indoor, grama e cimento... e menos no terreno - declarou Almagro.

Diante do impasse do "troca ou não troca", os planos de reforma ficam parados. Por um lado, de acordo com o jornal "Marca", os organizadores do torneio não teriam problema em modificar o solo. Por outro, o conselho de jogadores defendeu a continuação da superfície atual. A premissa enviada aos tenistas é a de que, se o piso não for modificado, será difícil continuar vendendo ao público o tênis de saibro como um espetáculo.    

veja também