MENU

He-Man entra em ação novamente, Flu vence Madureira e termina líder

He-Man entra em ação novamente, Flu vence Madureira e termina líder

Atualizado: Segunda-feira, 14 Fevereiro de 2011 as 8:42

O super-herói tricolor entrou em ação novamente. Com time misto, o Fluminense sofreu com a falta de entrosamento, mas contou com os poderes do He-Man Rafael Moura para despachar o Madureira, por 1 a 0, neste domingo, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, pela sétima rodada da Taça Guanabara. Este foi o quinto gol do atacante em três jogos desde seu retorno às Laranjeiras.

Beneficiado pelo empate por 1 a 1 do Botafogo com o Macaé, no Engenhão, a equipe de Muricy Ramalho ficou com a liderança do Grupo B, com 18 pontos, contra 17 dos alvinegros. Com isso, o Tricolor encara o Boavista - que fez 5 a 3 no Nova Iguaçu - na semifinal da competição, sábado, às17h (de Brasília), no Engenhão. A outra vaga será decidida entre Flamengo e Botafogo.

Com cinco pontos, o Madureira terminou a Taça Guanabara na penúltima colocação da chave, na frente apenas do Cabofriense, que tem quatro.

Calor e falta de entrosamento atrapalham o Flu

O torcedor vaiou, cobrou, e Muricy Ramalho trocou. Se a escalação de um time misto já era esperada para preservar os pendurados Leandro Euzébio, Carlinhos, Edinho e Diguinho, os nomes de Ricardo Berna e Digão entre os titulares tricolores surpreenderam e agradaram quem compareceu ao estádio Raulino de Oliveira. Eleitos vilões no empate por 2 a 2 com o Argentinos Juniors, quarta-feira, na estreia na Libertadores, Diego Cavalieri e André Luis foram sacados.

As cinco mudanças na equipe, porém, não deram resultado em campo na primeira etapa. Visivelmente desentrosado e com muitos jogadores sem ritmo de jogo, o Fluminense errava muitos passes e pouco assustava o Madureira. O Tricolor Suburbano, por sua vez, tocava bem a bola, ganhava confiança à medida que o tempo passava e mostrava ousadia. Tanto que logo colocou o ovacionado Berna para trabalhar, quando, mesmo com impedimento marcado, Edivaldo chutou na pequena área para o goleiro defender com os pés.

Com o forte calor, a partida era conduzida em ritmo cadenciado. Pior para o Flu, que dependia de lampejos individuais. Em chutes fortes, Rodrigo e Valdir levaram perigo pelo Madureira, mas não acertaram o alvo.

O campo já estava quase todo coberto pela sombra quando, nos minutos finais, o Tricolor das Laranjeiras passou a pressionar e por pouco não abriu o placar. Primeiro, Conca, em arrancada após tabela com Diogo, obrigou Cleber a fazer linda defesa. Em seguida, foi Digão que aproveitou uma cobrança de escanteio para carimbar a trave.

Avalanche tricolor para em Cleber

No segundo tempo, o Fluminense voltou a mil por hora, enquanto o Madureira parecia atordoado. O resultado? Uma avalanche tricolor. Suficiente para garantir a vitória se não fosse a atuação inspirada de Cleber. Com defesas sensacionais, o goleiro impediu gols de Souza, duas vezes, Conca e Gum. E ainda contou com o travessão para segurar Rafael Moura.

A pressão, entretanto, foi brecada pela parada técnica, e o Flu voltou a dar espaços e errar passes no campo defensivo. Bastante participativo, mas irreconhecível, Souza não jogava bem, e foi vaiado ao dar lugar a Marquinho. Ainda assim, faltava força ao Madureira.

He-Man salva mais uma vez

Como nos últimos dois jogos, quando as coisas complicaram o Fluminense apelou para seu “super-herói”. Um dos melhores em campo, participando bastante das jogadas ofensivas e finalizando, Rafael Moura salvou novamente e marcou seu quinta gol em três jogos no retorno às Laranjeiras. Aos 28, Conca cobrou falta na área pela direita, e o He-Man desviou de cabeça para vencer Cleber: 1 a 0. Em desvantagem, o Madureira ainda se lançou ao ataque, chutou de longe, mas foi capaz de tirar a vitória do Tricolor, que, beneficiado pelo empate entre Botafogo e Macaé, terminou na liderança da chave.

Por: Cahê Mota

veja também