MENU

Helinho vai a Brasília carregando o pedido dos torcedores: 'Traz o jogo 5'

Helinho vai a Brasília carregando o pedido dos torcedores: 'Traz o jogo 5'

Atualizado: Segunda-feira, 23 Maio de 2011 as 9:40

Helinho: se fosse fácil, haveria mais 13 times aqui (Foto: Celio Messias / Divulgação)

  Como se não bastasse sair pouco da quadra durante o jogo, Helinho também demora a sair depois que a última sirene toca. Na noite de domingo, após jogar 38 minutos e terminar como cestinha da vitória de Franca sobre Brasília , o armador encarou outra “prorrogação” até chegar ao vestiário. Era um abraço aqui, uma foto ali, bate-papo com um, elogio do outro. E quando finalmente conseguiu atingir a entrada do túnel, ouviu pela última vez:

- Helinho! Helinho!

Voltou para falar com o torcedor e escutou:

- Pelo amor de Deus, traz o jogo 5 para cá!

Com um sorriso no rosto, o veterano carregou o pedido para o vestiário, e vai carregá-lo também para Brasília, palco do jogo 4 da final do NBB, às 21h de terça-feira. Se vencer, Franca força a realização da quinta partida em casa, no sábado. A pressão do torcedor? Helinho tira de letra.

- Já estou acostumado. Eu converso com as pessoas na rua, vou na casa da tia, vou jantar com o primo no restaurante, e todo mundo fala isso, “vamos trazer o jogo 5”. Para mim isso é positivo, você sempre quer dar essa alegria. É duro? É. É difícil? É.

Mas é mais ou menos o que o Kevin Durant, da NBA, falou ontem: se fosse fácil, haveria mais 13 times com a gente aí. Só tem dois, nós e Brasília. Então, como dizem os manos, “é nóis” – brincou, já do lado de fora do Pedrocão, enquanto combinava com os parentes se ia jantar em casa ou sair para comer uma pizza. Estilo mais agressivo em quadra Na derrota de sábado, o armador não conseguiu se encontrar em quadra e teve um aproveitamento ruim nos arremessos. No domingo, a história foi outra. Incansável, Helinho terminou o jogo com 33 pontos e converteu cestas importantes na prorrogação.

- Fui um pouco mais agressivo, consegui ter um pouco mais de volume e tive um bom aproveitamento. Tudo flui de uma forma melhor quando você tem mais agressividade. Mais uma vez mostramos que a união do time prevalece. Conversamos de manhã e chegamos à conclusão de que a gente merecia essa vitória. A equipe conseguiu externar toda essa vontade - explicou.

E não há tempo para comemorar. Ainda com a corda no pescoço e sem poder perder na final do NBB, Franca retorna agora a Brasília, onde deve encontrar de novo 18 mil torcedores do rival no Nilson Nelson.

- O esporte não tem sentido se não for para o público. Fiquei feliz de ver o público prestigiando lá em Brasília. É claro que é sempre duro jogar contra eles com o ginásio lotado, mas não é para ser fácil mesmo.            

veja também