MENU

Hostilizado pela torcida do América, Bebeto garante: 'Não vou desanimar'

Hostilizado pela torcida do América, Bebeto garante: 'Não vou desanimar'

Atualizado: Segunda-feira, 18 Janeiro de 2010 as 12

Logo em sua estreia no América, Bebeto sentiu na pele como um técnico pode sofrer. Durante todo o segundo tempo da derrota por 2 a 1 para o Madureira, no sábado, no estádio Conselheiro Galvão, pela primeira rodada do Campeonato Carioca, o tetracampeão foi incomodado e insultado por torcedores do time rubro, que não estavam satisfeitos com o rendimento dos jogadores.

Decidido a seguir a nova carreira, Bebeto garante que não vai desistir. Ele considera normal a cobrança da torcida. O América voltou este ano para a primeira divisão do Campeonato Carioca, o que gerou muitas expectativas nos torcedores.

- Futebol é isso mesmo. A responsabilidade é toda minha. Os meninos foram guerreiros, lutaram até o final. E vamos seguir trabalhando. Tem muita coisa pela frente ainda. É só a primeira partida. Não vou desanimar, não. Tem muita coisa pela frente. O trabalho que está sendo feito é legal. É uma fase diferente na minha carreira. Tem a adrenalina do campo, da torcida berrando atrás. Foi uma situação nova, mas foi legal. Com o tempo vai mudar (o comportamento da torcida).

Hostilizado pelos torcedores do América, Bebeto foi bastante festejado pela torcida do Madureira. Após a partida, ele ficou mais de 15 minutos tirando fotos com os rivais. Para a próxima partida, contra o Vasco, o treinador espera ter mais sorte.

- O Vasco tem uma grande equipe, mas precisamos aproveitar já que começamos a treinar antes deles. Eles contrataram também muito e leva tempo para entrosar. Podemos nos aproveitar disso. Tenho que motivar esse grupo. Eles foram guerreiros (contra o Madureira). O grupo é fechado, unido, e vamos dar a volta por cima.

Inquieto na beira do campo, Bebeto admitiu que falou pouco com o time durante a partida. O treinador aproveitou o tempo técnico para passar as instruções.

- Faltou gogó. Teve uma hora que eu gritei e a voz sumiu. Os meninos foram guerreiros. Perdemos o pênalti, o que acontece com qualquer um. E logo depois disso tivemos a expulsão e tive que mudar tudo o que pensava. Poderíamos até ter ganho o jogo, mas futebol é isso aí mesmo.

Por: Thiago Lavinas

veja também