MENU

Imbatíveis sob a batuta de Dunga, Kaká e Robinho lutam pelo hexa

Imbatíveis sob a batuta de Dunga, Kaká e Robinho lutam pelo hexa

Atualizado: Sexta-feira, 11 Junho de 2010 as 8:56

Kaká é a principal estrela da seleção brasileira que vai disputar a Copa do Mundo a partir do dia 15, na África do Sul. Robinho é o símbolo da Era Dunga. Juntos, os dois se tornaram imbatíveis sob o comando do treinador. Em 32 jogos, a dupla obteve 28 vitórias e quatro empates. Derrotas? Nem em sonho. O aproveitamento é de 91,6%.   tuando ao lado de Robinho, Kaká é o artilheiro da dupla. O apoiador do Real Madrid marcou 14 gols nas 32 partidas. O Rei das Pedaladas, por sua vez, deixou a sua marca em oito oportunidades. Sem contar os jogos da parceria, o jogador do Santos balançou a rede 19 vezes e é o goleador ao lado de Luis Fabiano.

Fora de campo, as personalidades são diferentes. Kaká é mais tímido, e Robinho não deixa de brincar um minuto sequer com os companheiros. No avião, por exemplo, durante os voos da seleção, o apoiador costuma ficar mais recluso com seus fones de ouvido ou conversando reservadamente com algum amigo de seleção. Já o Rei das Pedaladas gosta de ligar o ipod em caixas de som e comandar a festa nas aeronaves.

Kaká e Robinho também seguiram rumos distintos nas carreiras. Enquanto o apoiador deixou o Milan no ano passado após seis temporadas e foi para o Real Madrid, o atacante preferiu sair do Manchester City para voltar a atuar no Santos, clube que o revelou em 2001. Porém, nos últimos meses, o camisa 10 da seleção brasileira viveu cercado de lesões na Espanha. Já o 11 recuperou a alegria de jogar no futebol brasileiro. Ele, inclusive, foi campeão paulista e está na final da Copa do Brasil, que será disputada após o Mundial.

Ciente de que a responsabilidade nesta Copa do Mundo será grande por tudo o que siginifica para a seleção brasileira, Kaká prefere não ser rotulado de estrela. Recuperado de um problema muscular, o apoiador espera chegar no nível ideal durante os primeiros jogos da primeira fase do Mundial da África do Sul.

- Eu me senti muito bem, mas um pouco preso ainda. A evolução é essa mesmo. Só falta agora eu me soltar um pouco mais. Estou ansioso pela volta da alegria de jogar. Mas certamente eu vou crescer dentro da competição, isso é o que mais me anima.

E a caminhada da seleção brasileira vai começar na próxima terça-feira, contra a Coreia do Norte, no Ellis Park, em Joanesburgo. Com Robinho e Kaká em campo, a invencibilidade da seleção brasileira sob o comando de Dunga tem tudo para ser premiada com o hexa.

veja também