MENU

Impiedoso, Galo se garante no primeiro tempo: 4 a 2 no Guarani-MG

Impiedoso, Galo se garante no primeiro tempo: 4 a 2 no Guarani-MG

Atualizado: Segunda-feira, 21 Fevereiro de 2011 as 8:35

O Atlético-MG não deu a menor chance ao Guarani-MG e aplicou uma goleada humilhante, em pleno estádio Farião, em Divinópolis. O placar de 4 a 2 apenas demonstrou a total superioridade do Galo sobre o Bugre. No primeiro tempo, o time de Belo Horizonte conseguiu o resultado de forma natural, sem fazer muito esforço. Um verdadeiro massacre. Os gols foram marcados por Ricardinho (2), Magno Alves e Neto Berola. Luiz Fernando e Juninho descontaram para o Guarani-MG Foi o terceiro jogo seguido em que o Galo marcou quatro gols (Guarani-MG 2 x  4 Atlético-MG; Cruzeiro 3 x 4 Atlético-MG; e Atlético-MG 4 x 1 Tupi).

Com os três pontos, o Atlético-MG chegou aos 12 e segue com 100% de aproveitamento no Campeonato Mineiro. O Galo é o líder da tabela, três pontos atrás do principal rival, o Cruzeiro, que tem nove. O Guarani-MG, mesmo com a segunda derrota seguida na competição, permaneceu no grupo dos quatro primeiros que se classificam para as semifinais. O Bugre tem seis pontos, na quarta colocação.

A partir de agora, o Atlético-MG muda o foco, já que, na próxima quarta-feira, iniciará a participação na Copa do Brasil. O confronto será contra o Iape, do Maranhão, às 22h (de Brasília). Pelo estadual, o compromisso será no domingo, às 16h, no clássico com o América-MG, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Já o Guarani-MG, nos mesmos dia e horário, enfrentará o Villa Nova, no Castor Cifuentes, em Nova Lima.

Goleada impiedosa

O Atlético-MG começou a partida disposto a liquidar o adversário. Logo nos primeiros minutos, o time de Belo Horizonte foi para cima e fez uma pressão incrível e, por muito pouco, já não abriu o placar. Leonardo Silva e Magno Alves, em cabeceios incríveis, tiveram a chance. O zagueiro, inclusive, acertou o travessão do goleiro Fred.

O volume do Atlético-MG era muito grande, tanto que o primeiro gol não demorou a sair. É verdade que foi de pênalti, sobre Neto Berola, marcado equivocadamente pelo árbitro Átila Carneio Magalhães. Aos 24 minutos, Ricardinho bateu com perfeição, sem chances para o goleiro do Guarani-MG.

Estava fácil. Cinco minutos depois, Ricardinho, mais uma vez, balançou as redes da equipe de Divinópolis. Aos 29 minutos, Neto Berola fez grande jogada pela direita e tocou para o meio da área. Ricardinho, muito bem posicionado, teve o trabalho apenas de tocar para o gol: 2 a 0.

A superioridade era também que, aos 37 minutos, o Atlético-MG chegou ao terceiro gol, desta vez, com o atacante Magno Alves. O jogador recebeu a bola na entrada da área e, com toda liberdade, virou sobre o marcador e bateu no canto esquerdo de Fred: 3 a 0.

E a goleada passou a ser inevitável. O quarto gol surgiu aos 39 minutos. Neto Berola recebeu em velocidade e, com muita categoria, tocou por cima de Fred, que saiu do gol para abafar o lance. O Galo se mostrou muito superior e mereceu a grande vantagem no placar.

Crescimento insuficiente

O Guarani-MG voltou diferente para o segundo tempo. Tanto que, logo no primeiro lance, o Bugre fez seu gol. Luiz Fernando recebeu na entrada da área e bateu forte, no canto esquerdo de Renan Ribeiro. A bola estudou as redes e encheu os torcedores do Bugre de esperança.

O time da casa avançou um pouco a marcação, na expectativa de que poderia diminuir ainda mais a diferença. Porém, o Galo, tranquilo em campo, tocava a bola, esperando o tempo passar. O atacante Ricardo Bueno, que entrara na vaga de Magno Alves, no intervalo, não conseguiu dar o mesmo ritmo no ataque atleticano.

O Guarani-MG subiu de produção, principalmente por causa do crescimento do meia Luiz Fernando, que comandou a reação do time de Divinópolis. O jogador, revelado pelo Cruzeiro, ainda bateu uma bola na trave, em uma ótima cobrança de falta. Quem também acertou a trave foi o meia Mancini, que entrou na vaga de Neto Berola.

No fim, o Guarani-MG ainda diminuiu, com Juninho, aos 46 minutos. O jogador se livrou de Werley e bateu forte, sem chances para Renan Ribeiro: 4 a 2, resultado justo a favor do Galo.    

veja também