MENU

Imprensa está decepcionada com geração sem comprometimento

Imprensa está decepcionada com geração sem comprometimento

Atualizado: Segunda-feira, 21 Junho de 2010 as 12:02

O circo de egos inflados e confusões que marca a seleção da França na África do Sul não decepciona apenas os torcedores do país. Os jornalistas que cobrem o dia a dia dos Bleus em Knysna não escondem sua irritação com os atletas, o técnico Raymond Domenech e os contantes barracos entre a delegação (o último deles foi uma áspera discussão entre o lateral Patrice Evra e o preparador físico Robert Duverne ). Além, claro, dos péssimos resultados na Copa do Mundo.

Com um empate de 0 a 0 na estreia diante do Uruguai e uma derrota para o México na segunda rodada do Grupo A, a França precisa golear a África do Sul nesta terça-feira e torcer para que haja um vencedor no duelo entre mexicanos e a Celeste para passar às oitavas de final. A imprensa da terra dos croissants, entretanto, não acredita nessa possibilidade.

- Praticamente não teve um dia que que falamos apenas de futebol ou de táticas aqui. Sempre são os problemas que dominam o noticiário. Com essa atmosfera negativa, é impossível uma equipe se preparar adequadamente. O Ribéry disse outro dia que o clima é pesado no elenco e a relação entre eles (jogadores) e comissão técnica não existe. Não acredito em milagre amanh㠖 afirmou o Christophe Diremszian, repórter da rádio “RF1”.

O jornalista apontou um dos motivos para esse péssima participação dos Bleus no Mundial.

- Essa geração é muito menos comprometida do que a anterior, na qual jogadores como Makelelé e Zidane atuavam com mais paixão pela camisa da seleção.

Repórter do site “20 minutes”, Romain Scotto vai além e coloca Domenech entre um dos principais responsáveis.

- Temos dois grupos nesse elenco, os que respeitam Domenech e os que não. Os mais novos na seleção, como Toulalan, Lloris atuam com mais vontade. Mas outros como Gallas, Ribéry já não estão muito preocupados. Mas Domenech merece a maior parte da culpa, ele não consegue falar com os jogadores, não muda suas ideias – observou.

Segundo ele, a chegada de Laurent Blanc - o ex-treinador do Bordeaux e capitão da seleção campeã mundial em 1998 assume o cargo após a Copa da África do Sul -, será benéfica.

- Ele é muito técnico, um “manager” de verdade... E pior do que está não pode ficar – afirmou, aos risos, Scotto.

Saudades de Zizou

Michael Balcaum, jornalista do portal “Sports.fr”, ressaltou o que falta na atual seleção da França.

- Precisamos de uma referência como Zidane. Não somente pela sua qualidade técnica, que vai ser difícil de se achar novamente, mas pela sua liderança. Quando ele falava algo, todo mundo se calava. Henry poderia ser essa pessoa, mas não conseguiu – salientou.

veja também