MENU

Indicado por Rivaldo, lateral não tem nem data de estreia

Indicado por Rivaldo, lateral não tem nem data de estreia

Atualizado: Sábado, 19 Março de 2011 as 11:49

Edson Ramos foi contratado pelo São Paulo depois de ser indicado por Rivaldo.

Cerca de um mês e meio após desembarcar no clube do Morumbi, essa continua sendo a principal (e quase única) referência do lateral direito que veio do Mallorca.

Edson, 24, que carregava o apelido Ratinho em seu nome até vestir a camisa são-paulina, não estreou e é figura opaca até nos treinos.

O lateral sempre está lá, com os outros reservas. Não protagoniza grandes lances, tampouco jogadas arrepiantes. Enfim, é discreto.

No São Paulo desde o começo de fevereiro, treinou por dez dias antes de ganhar uma apresentação. Ainda teve de dividir o evento de chegada com Willian José.

Desde então, a equipe do Morumbi jogou cinco vezes. Edson Ramos teve a chance de pisar no gramado em duas delas, mas só no intervalo ou antes e depois das partidas.

Nos outros três jogos no período, não foi relacionado pelo técnico Paulo César Carpegiani ou acabou cortado do banco de reservas.

Sua situação já é comparada à do chileno Saavedra, zagueiro que esteve no São Paulo por um ano e meio e nunca entrou em campo.

Enquanto aguarda uma oportunidade de estrear, o lateral assiste a vários jogadores serem testados e improvisados em sua posição.

Só neste ano, Jean, Ilsinho, Rhodolfo, Xandão e Luiz Eduardo passaram pela lateral direita. A concorrência acabou de aumentar, com a promoção de Lucas Mendes, 18, formado nas categorias de base do clube.

"Ele tem treinado bem, está adaptado. Pode ter uma chance. Mas não sei quando", afirmou Carpegiani. O companheiro de Rivaldo dificilmente irá atuar amanhã, contra o Prudente, fora.

O camisa 10, aliás, é quem aconselha Edson Ramos a persistir. "Tenho amizade com ele há um bom tempo. Ele me passa tranquilidade e fala que tudo vai dar certo", declarou o lateral direito.

Edson Ramos, atuou com Rivaldo na Grécia e no Uzbequistão e diz que sua relação com o meia é pessoal.

"Não tenho empresário, nem procurador, só amigos que me aconselham."

O jogador está emprestado ao São Paulo até o fim do ano. Mesmo sem ter recebido chances, ainda acredita que pode convencer o clube a prorrogar sua permanência.

Por Rafael Reis

veja também