MENU

Inter coleciona contratempos às vésperas do Mundial

Inter coleciona contratempos às vésperas do Mundial

Atualizado: Sexta-feira, 10 Dezembro de 2010 as 8:30

No mesmo compasso em que virou o “campeão de tudo”, o Inter se tornou sinônimo de profissionalismo. A organização do clube é referência nacional no futebol e sustenta as conquistas dos últimos anos. Mesmo assim, os colorados se viram envolvidos em uma série de contratempos entre a preparação final para a viagem aos Emirados Árabes e os primeiros instantes em Abu Dhabi.

Um dia antes da viagem, o Inter perdeu um de seus 23 jogadores inscritos. Rodrigo, reserva imediato da zaga, teve a inscrição vetada pela Fifa, que viu irregularidade no período de inscrição dele. O jogador passou três meses treinando exclusivamente para o Mundial. Em vão. O Inter reclama da rigidez da entidade, mas o departamento jurídico não teve a percepção do risco.

Com isso, o Inter chegou aos Emirados Árabes com 19 atletas de linha, número insuficiente para realizar coletivos. O clube acionou Abel Braga, técnico do Al-Jazira, e pediu que ele cedesse um atleta de seu elenco para completar o treinamento. Rodrigo não pôde ser substituído por Sorondo, já que o regulamento do Mundial não prevê trocas por erros burocráticos.

A viagem do Inter, com voo fretado, foi outro erro de estratégia. A parada para reabastecimento na Nigéria durante a madrugada foi um tiro no pé. O aeroporto estava praticamente fechado. Foram mais de quatro horas de parada no solo, sem fazer nada. Em uma aeronave bem menos confortável do que as da principal empresa de voo comercial para os Emirados Árabes, o elenco viu o cansaço aumentar.

Na chegada a Abu Dhabi, mais problemas. Assim que chegou ao hotel, o Inter não sabia se conseguiria treinar, porque o material de treino demorava a sair do aeroporto. Os uniformes chegaram, e aí o treinamento foi confirmado. No estádio, porém, enquanto os atletas já aqueciam, o técnico Celso Roth esbravejava por causa da falta de parte do material, que ainda estava em deslocamento para o centro de treinamentos.

Os problemas, agora, devem diminuir, com a delegação já estabelecida em Abu Dhabi. O Inter terá mais quatro dias de treinamentos antes da estreia no Mundial, terça-feira, contra o Mazembe, da República Democrática do Congo, ou o Pachuca, do México.

veja também