MENU

Inter no meio-termo: busca guris e renova com veteranos

Inter no meio-termo: busca guris e renova com veteranos

Atualizado: Quarta-feira, 25 Maio de 2011 as 9:40

Bolívar, 30 anos: contrato prorrogado. Guiñazu, 32 anos: contrato prorrogado. D’Alessandro, 30 anos: acertada a prorrogação contratual, em vias de ser assinada. O Inter passa por um processo curioso, que parece até contraditório: enquanto exibe publicamente o desejo de remodelar seu vestiário, deixando-o mais jovem, decide solidificar o vínculo com alguns de seus atletas mais experientes e mais vencedores.

D'Alessandro deve ser o próximo a renovar com o Colorado (Foto: Alexandre Alliatti / Globoesporte.com)

  Com as medidas, o clube evidencia uma ideia: buscar jogadores mais jovens não significa, necessariamente, balançar os pilares que sustentam a hierarquia do vestiário. Em Bolívar, Guiñazu e D’Alessandro estão representados os dois tipos mais básicos de liderança em um clube de futebol: a política, de representação do grupo, e a técnica, de confiança do time.

É paralela a essa realidade que corre a convicção da diretoria da necessidade de um elenco mais jovem e mais barato. O processo, porém, não será radical. E nem deve ser, na opinião do técnico do Inter, Paulo Roberto Falcão.

- Tudo precisa se modernizar, se modificar. Isso não significa que não possa manter jogadores enquanto vai renovando. É sempre preciso um cuidado sobre quem vai jogar, o emocional do jogador em um clube com a história do Internacional. A renovação tem que ser feita sempre, mas pensando na qualificação – comentou o treinador.

O primeiro estágio da reformulação está mais centrado em chegadas do que em saídas. O clube, desde a conquista do Gauchão, buscou três jogadores, todos jovens: os atacantes Gilberto, de 21 anos, Siloé, de 20, e Jô, também de 21. Segundo a diretoria, apenas o primeiro chegou para o elenco principal, mas os outros dois também devem ser pelo menos observados por Falcão.

Enquanto isso, os jogadores mais experientes, de contrato prorrogado, comemoram a vivência no clube. É o caso de Guiñazu.

- Estou muito orgulhoso, muito feliz. Aqui é minha casa, e não falo por falar. Tive a sorte de ganhar coisas importantíssimas para um atleta. Estou orgulhoso de ter assinado o contrato. A diretoria sabe o que fazer com os jogadores, de trazer atletas mais jovens ou não. Quando alguém tem que sair, ficamos tristes, mas estamos preparados para tudo. Estou feliz com o contrato que assinei, e continuarei lutando – disse o volante.

Com D’Alessandro, é questão de tempo. O Inter apenas aguarda a chegada ao Brasil do empresário do atleta para definir os detalhes finais do novo acerto, válido até 2015. Salários estão acertados.          

veja também