MENU

Inter perde de virada e está fora da final do 1º turno

Inter perde de virada e está fora da final do 1º turno

Atualizado: Segunda-feira, 22 Fevereiro de 2010 as 12

Um time que nunca jogou junto, foi mal em campo e acabou levando uma virada na etapa final. Assim foi o Inter de Jorge Fossati na semifinal da Taça Fernando Carvalho. O gol do Inter, marcado por Bruno Silva, foi um ato isolado do ataque vermelho. Paulinho, de pênalti, e Chicão, com um golaço de fora da área, garantiram os "galáticos do vale" na decisão contra o Grêmio, no próximo domingo.

A etapa inicial foi marcada pelo desentrosamento, a lentidão do meio-campo e vários passes errados do Inter. Fatores já esperados de um time que não havia jogado junto ainda. Mas permitindo ao Novo Hamburgo explorar os lados do campo e, principalmente, arriscar de fora da área testando efetivamente Muriel.

Sem contar com os titulares, Jorge Fossati mandou a campo um time com Wilson Mathias na defesa, entre os garotos Wagner Silva e Juan. Uma dupla que mostrou muita habilidade. O volante que atuou improvisado não vacilou. Mais a frente, Josimar era o primeiro na marcação, liberando Glaydson. O setor criativo, no entanto, encontrou problemas tendo somente Andrezinho para ligar o ataque.

A dupla de frente, Leandro Damião e Kleber Pereira não se encaixou bem. O experiente centroavante pouco participou, nos sessenta minutos que esteve em campo. O jovem destaque da equipe B, se movimentou muito e tentou concluir em várias oportunidades. Eltinho, que estreou, foi discreto. Bruno Silva demorou 10 minutos para tocar pela primeira vez na bola, mas progressivamente entrou no jogo.

No lado do Novo Hamburgo, Preto e Gustavo articulavam jogadas pelo meio, encontrando espaços e chegando de frente para o gol do Internacional. Em mais de um momento, Muriel teve que se esticar para evitar o gol dos comandados de Gilmar Iser.

Aquele ritmo lento, que só tinha chegadas do Inter através de bolas paradas, ficou de lado depois dos 35 minutos. Durante alguns instantes era o Internacional o time visitante, jogando em contra ataque, e desta forma conseguiu levar perigo ao gol de Juninho. Mas sem efetividade e mais, sem qualidade suficiente.

Segundo tempo aberto de parte a parte

No segundo tempo, o time do Inter deu claros sinais de que a bronca no vestiário foi forte. Mesmo sem conseguir chegar muito, a vontade era diferente. O meio-campo não dava mais espaços e o ataque se mexia mais. Aos seis minutos, Andrezinho - em um dos seus raros bons momentos - serviu Bruno Silva. O lateral invadiu a área, limpou o zagueiro e, com o pé esquerdo, fuzilou Juninho.

O problema é que depois de conseguir a vantagem, a equipe de Jorge Fossati parou. Voltou a permitir as chegadas do adversário. Então, o técnico do Inter sacou Kleber Pereira e colocou Thiago Humberto. Teoricamente o time teria mais criatividade, só que o jogador ex-Barueri não correspondeu ao esperado.

Confira os gols da partida:

E de tanto ceder espaço, O Inter não passou em branco. Em boa jogada de contra-ataque, aos 22 minutos, Edimar lançou Maiquel que avançou, com espaço, para dentro da área. Muriel saiu e cometeu pênalti. Na cobrança, Paulinho bateu com força, rasteiro e empatou.

A entrada de Maiquel complicou a vida da zaga vermelha. O atacante rápido e pequeno encontrou um corredor pela esquerda ofensiva do N. Hamburgo e foi para cima em mais de uma chance. O problema era a falta de qualidade dos demais companheiros. Michel, ex-Inter, entrou e também buscava incomodar a defesa só que sem sucesso.

Com o ingresso de Walter o Inter voltou a ter volúpia na frente, só que ainda com ausência do toque final com qualidade. O Novo Hamburgo seguia esperando o contra golpe e matava tempo. Aos 43 minutos a chance real da virada do visitante. Micael ficou livre dentro da grande área, depois de um escanteio, e teve muito tempo para concluir. O chute, porém saiu muito alto.

A chuva misturada com o calor em Porto Alegre já dava o sinal, algo incomum estava por acontecer no Beira-Rio. Aos 45 minutos Chicão acertou um chute do meio da rua, um golaço. No ângulo de Muriel que nada pode fazer. Desesperado, o Inter mandou até o goleiro para área tentando o empate. No último minuto, Walter dividiu com o goleiro Juninho. A bola voltou para o meio do campo e o tempo se encerrou para o time vermelho. A invencibilidade de 31 jogos do Internacional no Estadual acabou.

O comandante do Novo Hamburgo vibrou, emocionado, dentro de campo. "Grande virada! Grande virada!", limitou-se a falar. O Campeão Mundial em 2006, Michel, entrou no segundo tempo e comemorou demais a vitória. "Só eu sei como é bom ganhar do Inter aqui dentro. Ganhei hoje e antes com o Juventude. É bom demais", revelou.

Por: Jeremias Wernek

veja também