MENU

Inter teme mais o primeiro jogo do Mundial do que a decisão

Inter teme mais o primeiro jogo do Mundial do que a decisão

Atualizado: Sexta-feira, 26 Novembro de 2010 as 7:19

Inter de Milão coisa nenhuma. Os colorados estão preocupados mesmo é com o primeiro jogo do Mundial, contra o Pachuca, do México, ou o Mazembe, da República Democrática do Congo. O raciocínio vermelho não se resume à noção de que o segundo jogo não existe sem sucesso no primeiro. O temor dos gaúchos carrega outros elementos: a obrigatoriedade da vitória e a pressão da estreia.

Jamais aconteceu de um clube sul-americano ou europeu ser eliminado nas semifinais do Mundial. Dá arrepios no Inter a ideia de ser o primeiro. Os gaúchos sabem que irão a campo no dia 14, seja quem for o adversário, como favoritos. Carregarão toda a pressão da vitória. O mesmo não acontecerá em uma eventual decisão contra o Inter de Milão.

A partida será uma estreia para os colorados, mas não para seu adversário, que já terá passado pelas quartas de final. Os jogadores lembram de 2006, quando o Inter sofreu para superar o Al-Ahly, do Egito, nas semifinais.

- Muita gente só fala do Inter de Milão. Nem sabemos se vamos passar ou se eles vão passar. Não podemos pensar no segundo jogo sem passar pelo primeiro. Vocês viram como foi difícil em 2006. Tem que respeitar. Não podemos vacilar no primeiro jogo – disse o atacante Rafael Sobis.

Tinga concorda com o colega. Para ele, é preciso pensar mais no jogo de estreia do que em uma possível final.

- Sabemos que o mais importante é o jogo contra os africanos ou os mexicanos. Sem esse jogo, não conseguiremos chegar em uma final. Nossa preocupação é com o primeiro jogo. Em 2006, o pessoal sabe que o mais difícil foi a estreia, pelo nervosismo, pela pressão de ganhar – afirmou o meia.

O técnico Celso Roth tem o mesmo pensamento. Ele vem repetindo, semana após semana, que o Inter precisa ficar muito atento ao primeiro jogo, sob pena de sofrer uma frustração histórica.

veja também