MENU

'Já tive que reverter coisa pior', Carlinhos Bala ainda acredita

'Já tive que reverter coisa pior', Carlinhos Bala ainda acredita

Atualizado: Sexta-feira, 26 Agosto de 2011 as 3:35

Bala ainda crê que Leão ainda pode se classificar

(Foto: Roberto Ranulfo/GLOBOESPORTE.COM)

  A conversa com torcedores, diretoria e técnico surtiu efeito no elenco tricolor. Pelo menos durante a entrevista coletiva ao final do útlimo treino, confiança e esperança eram palavras fáceis no vocabulário dos jogadores. Carlinhos Bala, que conversou pessoalmente com representantes de torcidas organizadas na última quinta-feira , disse o resultado da improvisada "reunião".

- O torcedor do Fortaleza está acostumado a vencer. Uma torcida acostumada a ganhar títulos nunca desacostuma. Nós estamos passando por esse momento complicado, mas não há bicho de sete cabeças. Só nós jogadores podemos reverter essa situação - comentou o jogador.

Aos 31 anos, o atacante é um dos mais experientes do elenco tricolor. Pelo currículo com passagens por grandes clubes, Bala é também um dos mais exigidos neste momento de crise. E o jogador não foge às responsabilidades.

- Num momento como esse, a gente tem que passar a experiência. Eu já tive que reverter coisa pior. Eu acho que ainda só depende da gente. Temos dois jogos em casa e um fora. Agora é vencer por etapas - disse Bala.

O discurso de confiança e tranquilidade era o mesmo do lateral-direito Márcio Gabriel. Único atleta na posição neste elenco tricolor, Márcio mantém a esperança numa classificação para a próxima fase da Série B.

- Tudo pode mudar. Ainda há esperanças sim. Tem tês jogos pela frente. Vamos pensar agora no Campinense e depois conseguir os outros resultados - afirmou o lateral.

Se a torcida deu um puxão de orelhas no elenco, Carlinhos Bala agora conclama o torcedor para lotar o Estádio Presidente Vargas. O atacante espera encontrar um verdadeiro caldeirão neste sábado para retomar as vitórias na Série C.

- Quando eu cheguei aqui no primeiro dia, falei que a torcida do Fortaleza fazia a diferença. Agora eu peço que o torcedor vá até lá (Presidente Vargas) e apoie. Aquele torcedor que for lá vaiar, tirar a concentração do jogador, é melhor ficar em casa. Vá lá aquele que for apoiar e incentivar, que a gente vai dar a vida dentro de campo - disse o jogador.            

veja também