MENU

Jobson é punido e só poderá voltar a jogar em março: 'Estou aliviado'

Jobson é punido e só poderá voltar a jogar em março: 'Estou aliviado'

Atualizado: Quarta-feira, 14 Setembro de 2011 as 4:06

Depois de dois anos, Jobson recebeu o veredicto

da CAS nesta quarta-feira  (Foto: Agência Estado)

  Depois de três adiamentos , a Corte Arbitral do Esporte (CAS), enfim, decidiu o destino de Jobson no futebol. Nesta quarta-feira, a entidade determinou uma pena de dois anos de suspensão para o atacante, que foi flagrado em exames antidoping no Brasileirão de 2009. Como o período conta somente a partir de 6 de setembro de 2010 (entenda o motivo logo abaixo) , e o jogador já cumpriu seis meses de suspensão no ano passado, ele poderá voltar a jogar em 6 de março de 2012.

- Estou aliviado porque dos males esse foi o menor. Seis meses foi uma vitória. Estou bem tranquilo – disse Jobson.

A defesa do atacante também comemorou a decisão da CAS.

- Foi uma grande vitória. A metodologia de cálculo foi justa, dentro das especificidades de um caso de doping. Participei do julgamento com o Dr. Carlos Portinho e meu sócio Bichara Neto, e consideramos uma jurisprudência importante. É um voto de confiança no Jobson. Agora só depende dele aproveitar isso - disse o advogado do jogador, Marcos Motta.

Jobson pegou a pena máxima para casos de doping isolados. A CAS não interpretou as partidas contra Coritiba e Palmeiras como dois incidentes independentes. A reincidência levaria o atacante a ser banido do esporte - como ocorreu com a nadadora Rebecca Gusmão, flagrada no antidoping em duas ocasiões em uma única competição.

Sem clube desde que deixou o Bahia, Jobson ainda tem vínculo com o Botafogo, mas não fazia parte do planejamento para esta temporada. Liberado para negociar com outro clube, o atacante, que aguardava a decisão da CAS em sua cidade, Conceição do Araguaia (PA), já recebeu ligações de Barueri e Vila Nova com interesse em contratá-lo.

Entenda o caso

Jobson foi flagrado no exame antidoping na reta final do Campeonato Brasileiro de 2009, em partidas contra o Coritiba e o Palmeiras, quando defendia o Botafogo. O laudo apontou uso de cocaína; diante do juiz, o atacante admitiu ter usado crack. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva julgou o caso e condenou o jogador a cumprir dois anos de suspensão. No entanto, após recurso, a pena foi reduzida a seis meses e cumprida no primeiro semestre de 2010.

O processo terminaria aí, se a Wada (Agência Mundial Antidoping) não tivesse entrado com um recurso: a instituição considerou a punição muito leve e pediu a pena base para casos de doping, que é de dois anos de suspensão. O atacante foi julgado pela CAS, na Suíça, no dia 21 de junho, e a decisão foi anunciada nesta quarta-feira.

Por que a suspensão começa a contar só em setembro de 2010?

De acordo com informações dos advogados do atacante, a Wada teria requerido que o tempo restante de suspensão, ou seja, 18 meses, começasse a contar a partir da data do anúncio da decisão, ou seja, nesta quarta-feira. Porém, a defesa solicitou, com base no precedente do processo do jogador Dodô, que fosse descontado mais um período da pena, devido à demora do processo, que começou em 2009 e já completa dois anos por conta de burocracias judiciais, não culpa do jogador.

- O Painel do CAS aceitou a solicitação, e determinou, de acordo com seus critérios subjetivos, que fossem deduzidos mais quatro meses da pena, período que estabeleceram como referente ao tempo em que a Fifa levou para traduzir a decisão do STJD e comunicar a Wada para que ela pudesse julgar necessidade de recurso. Essa foi uma apelação ganha pela defesa, já que, segundo o tópico 1 do artigo 53 do regulamento antidoping da Fifa, o "o período de inelegibilidade deve começar logo que a decisão que prevê a inelegibilidade é comunicada ao jogador em causa", ou seja, no dia do último recurso do STJD, 29 de abril de 2010 - explicou o também advogado de Jobson, Bichara Neto.          

veja também