MENU

Joel se espanta com pergunta sobre demissão

Joel se espanta com pergunta sobre demissão

Atualizado: Sábado, 26 Fevereiro de 2011 as 7:41

Joel Santana, como ele mesmo se define, é um técnico que não precisa fazer demagogia. Por isso, abriu o coração ao falar sobre o atual momento do Botafogo. O treinador reconheceu a má fase vivida pelo time, mas revelou estar bastante chateado com as críticas. Durante alguns momentos, Joel se emocionou e chegou a falar que se achassem que o problema era ele que sairia. Mas também se defendeu usando o seu currículo como escudo. No início da entrevista, Joel adotou um tom mais moderado. Mas, ao ser questionado se se sentiria ameaçado de ser demitido caso o time fosse eliminado da Copa do Brasil, o treinador soltou o verbo: - Já pensam nisso? Estão adiantados. As coisas no futebol se esquecem com muita rapidez. Se eu achar que estou incomodando... Não pode ter demagogia. Não sou mais treinador disso. Às vezes, o que é bom fica feio e o que é feio fica bonito Você sabe que eu recusei quatro clubes para ficar aqui? Por que você acha que fiquei? Por respeito ao clube, à agremiação, à torcida. Não sou treinador de um jogo. Mas se tiver que sair, saio. Meus críticos estão batendo. Eu fico só desviando. Agora, é a hora de acertar o time. E se não acertar, eu sei o caminho. Quando viemos, aceitamos uma situação que poucas pessoas iam aceitar. Agora, se achar que sou eu que tenho que pagar... O treinador ainda fez uma breve análise de seu tempo à frente do clube para salientar seus bons números. - Eu estou no clube há quatorze meses. Quanto jogos a gente perdeu nos cerca de 70 que fizemos? Tenho certeza que menos de dez. Mas claro que uma derrota como essa faz a gente pensar. Temos que colocar as coisas no lugar. Essa pressão por resultados faz parte de todo time grande. A partir do momento que perde um jogo ou outro, já começam os questionamentos - disse. O desabafo parece ter feito bem a Joel. No fim da entrevista, mais sereno, o treinador voltou a mostrar a velha confiança em seu trabalho: - Eu sei o que precisa ser feito. Vamos acertar as coisas. Temos que vencer o jogo de volta. Aí, as coisas voltam um pouco ao normal. Joel se esquiva de comentar declarações de dirigente Joel falou o que pensa sobre quase todos os assuntos envolvendo o momento do Botafogo. A única pergunta que ficou sem resposta foi sobre as declarações de Anderson Barros. O gerente de futebol do clube criticou duramente o time após a derrota para o River Plate-SE. - Depende de como você encarou o que o Anderson falou. Interpretação é uma coisa muito séria – esquivou-se.

Por Thiago Fernandes Rio de Janeiro

veja também