MENU

Jogo contra galácticos ou Libertadores? O dilema de Valencia

Jogo contra galácticos ou Libertadores? O dilema de Valencia

Atualizado: Quinta-feira, 13 Janeiro de 2011 as 3:24

De um lado, um amistoso por seu país, contra a seleção campeã mundial, em um dos palcos mais importantes do futebol. Do outro, a estreia na Libertadores, competição dos sonhos de qualquer sul-americano, em casa e com estádio lotado. No meio, Valencia sem saber o que fazer. Convocado pela seleção colombiana para amistoso contra a Espanha, dia 9 de fevereiro, no Santiago Bernabeu, em Madrid, o volante ficará fora da partida do Fluminense contra o Argentinos Juniors pela primeira rodada da competição continental.

Há a possibilidade de o jogador pedir dispensa ao técnico Hernán Dario Gomez e entrar em campo pelo Tricolor, mas Valencia ainda não decidiu o que fazer. A partida, porém, é data Fifa, o que dificulta uma liberação.

- Estou feliz e triste ao mesmo tempo. Fui convocado para defender meu país, mas por outro lado vou ter que deixar o Fluminense em um momento importante. Ainda não falei com ninguém sobre esse assunto. Gostaria de jogar os dois jogos, mas não dá. Vou falar com os treinadores e ver o que vai acontecer.

No Brasil desde 2007, após chamar a atenção do Atlético-PR com a camisa do América de Cali pela Libertadores, Valencia retorna à seleção de seu país depois de quatro anos e alguns problemas com dirigentes. Para o volante, o título do Brasileirão teve papel determinante em sua convocação.

- Sendo campeão deu tudo certo. Fui convocado e quero aproveitar essa oportunidade. Há quatro anos eu não era chamado. Esse é o momento ideal. O futebol colombiano está melhorando.

No compromisso do dia 9 de fevereiro, o colombiano terá a árdua missão de parar feras espanholas como Fernando Torres, Xavi, Iniesta e David Villa. Algo que o motiva ainda mais para o confronto.

- Estou feliz por jogar contra esses caras, que são campeões mundiais e excelentes jogadores. Vamos tentar igualar as coisas quando a bola rolar.

Valencia tem 25 anos e disputou o Sul-Americano sub-20 de 2005, em casa, por seu país, quando se sagrou campeão.

Por: Cahê Mota

veja também