MENU

Jovem promessa sonha com pódio no nado sincronizado e na natação

Jovem promessa sonha com pódio no nado sincronizado e na natação

Atualizado: Terça-feira, 15 Março de 2011 as 10:32

Enquanto o locutor oficial anunciava as três vencedoras dos 200m medley, Nathália Almeida acabava de preparar a maquiagem para a apresentação de sua série de solo no último treino da seleção juvenil de nado sincronizado. Foi ali receber a medalha de ouro conquistada no meeting disputado no Julio Delamare no fim de semana e, pouco mais de 30 passos depois, já estava na cabeceira do poço de saltos, pronta para mostrar a rotina que treinou para o Sul-Americano da categoria, que será disputado a partir de quarta-feira. Aos 14 anos, ela tem fôlego e vontade de sobra para tentar voltar do Peru com medalhas nos dois esportes.     A ambição é ainda maior. Nathália já projeta fazer a dobradinha durante os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. E ai de quem tentar convencê-la do contrário. A correria diária começa cedo e só termina lá pelas 21h. Muitas vezes prefere abrir mão do jantar para poder dormir. Descanso merecido para alguém que estudou, enfrentou as repetições de uma sessão de nado sincronizado, fez uma aula de balé e um treino de natação. Há quem se sinta cansado só de ouvi-la falar sobre como costuma ser um dia normal em sua vida. Ela ri e faz tudo parecer muito fácil.

- As minhas amigas falam que sou maluca. Mas isso tudo não me cansa, não. Teve um tempo em que eu fazia ginástica rítmica também. Houve uma época em que fiquei muito cansada, só que já me acostumei. Neste início de ano, por causa do Sul-Americano, não tenho ido muito ao colégio. Meus colegas me passam as matérias e a minha irmã me ajuda também. Vou perder várias provas, mas o colégio entende. Os treinos de natação eu estava fazendo no Tijuca e depois minha mãe me levava ou eu pegava carona para ir ao Guanabara encontrar com a seleção. Nem saí no carnaval para ir bem. Espero que minha preparação tenha dado certo e possa voltar com medalhas de lá - disse a jovem promessa, que ainda consegue sair com os amigos nas horas de folga.

Nathália terá várias chances de subir ao pódio no Peru. Disputará o solo e a prova por equipe no nado (de 16 a 20 de março), além dos 200m e 400m medley, 100m e 200m borboleta, 50m livre e 4x100m livre (no período de 23 a 26). Se desde os 6 anos de idade não consegue optar entre um ou outro esporte, também não definiu se é velocista ou meio fundista na natação. 

- Eu gosto de nadar todas essas distâncias. Comecei com 2 anos a nadar e depois, de tanto olhar para as meninas fazendo nado a técnica me chamo para fazer uma aula e eu entrei na equipe. Meus pais me apoiam muito. Na minha casa, meus irmão também nadam. Meu pai é fisiologista do Boavista e minha mãe já foi remadora e hoje é técnica de nado sincronizado. Eles dizem que se gosto do que faço tenho mais é que continuar. Estou dando o meu máximo e meus treinadores não ficam mais enciumados porque sabem que gosto das duas modalidades. Imagina se eu conseguir ir às Olimpíada nos dois?

Quem conhece Nathália não duvida de que ela possa alcançar o objetivo. Ex-integrante da seleção brasileira adulta e atual técnica da equipe nacional juvenil,  Glaucia Soutinho sabe bem o esforço que é preciso ser feito, o desgaste e dores provocados por um treinamento de nado sincronizado. Só não consegue imaginar como alguém pode passar por tudo isso e ainda se recuperar a tempo de contar ladrilhos e dar braçadas pouco depois.

- Olho para ela e me pergunto como aguenta. Acho que o querer é tanto que a faz superar o cansaço. Nathália é muito disciplinada. Se percebo que está cansada, dou uma poupada. Lembro que no início pressionei para que ela optasse por um ou por outro, porque nunca vi ninguém fazer isso. Mas essa rotina dela nunca a atrapalhou em nada. Ela é bem forte e muito boa nas duas modalidades, tem a melhor propulsão da equipe e muito futuro. Em fevereiro, nós pudemos treinar juntamente com a equipe da Rússia e a Tatiana Pokrovskaya (técnica tricampeã olímpica) e ela prestou atenção nas meninas e viu que há potencial para investirmos. Posso dizer que no nado com certeza Naná é forte nome para 2016 - afirmou.

Em setembro, Nathália disputou a etapa do Rio da Copa do Mundo de natação. Aprendeu mais um pouquinho com adversárias experientes e ficou com gosto de quero mais. No sábado passado, teve outra lição ao ver Cesar Cielo em ação no meeting organizado pelo Flamengo do qual ela também participou. E ganhou ainda mais fôlego para dar continuidade aos seus planos.

- Ele é o homem mais rápido do mundo, que ganhou medalha nas Olimpíadas e no Mundial, e está aqui, dividindo a piscina com a gente. Nunca tive a oportunidade de falar ou tirar uma foto com ele, mas me espelho nele e é muito importante tê-lo por perto.    

veja também