MENU

Juliana Veloso conquista ouro e Tammy Galera fica com o bronze

Juliana Veloso conquista ouro e Tammy Galera fica com o bronze

Atualizado: Terça-feira, 23 Março de 2010 as 12

Juliana Veloso estreou com o pé direito no Sul-Americano de Medellín, Colômbia. Nesta segunda-feira, a saltadora conquistou ouro na prova do trampolim de três metros, totalizando 319,60 pontos. O Brasil ainda subiu no pódio com Tammy Galera, que conseguiu a medalha de bronze com 245,70. A prata ficou com a atleta da casa Diana Pineda.

Juntas, Juliana e Tammy ainda conquistaram o ouro no trampolim de três metros sincronizado, com 276,45 pontos. As atletas da casa Diana Pineda e Manuela Rios, com 263,85, e as equatorianas Gabriela Sabando e Rafaela Suarez completaram o pódio com o segundo e o terceiro lugar, respectivamente.

Além do ouro, Juliana bateu a marca de 280 pontos e conseguiu índice para o circuito internacional da FINA. Apesar de comemorar o resultado, a saltadora lamentou as notas distribuídas pelos juizes.

- Quando estou em competição, só penso no meu desempenho e nas minhas notas. Esqueço as adversárias. Mas que é difícil aceitar as notas que vi hoje, é. Mesmo assim deu pra ganhar e acima de tudo ver o principal objetivo conquistado: o índice para os Grand Prixs - afirmou a atleta de 29 anos.

Além das adversárias, Tammy teve que vencer uma contusão na coluna que a atormenta desde o último dia 12. Ainda sem estar totalmente recuperada, a atleta comemorou a medalha de bronze.

- Me machuquei um dia depois do meu aniversário de 19 anos, ainda sinto dores e treinei pouco. A série de saltos foi terminada hoje de manhã. O pódio foi um presente de aniversário atrasado.

O Brasil também conquistou medalha no masculino nesta segunda. Com 366,35 pontos, o paraense Ian Matos, de 20 anos, levou o bronze no trampolim de 1 metro. Os saltadores da casa Miguel Reyes Abadia, com 392,90, e Sebastian Castaneda, com 391,15, ficaram com ouro e prata, respectivamente.

- Estou muito feliz com meu desempenho. Nunca fizera 340 pontos e hoje consegui chegar aos 366. Competir com toda esta pressão da torcida nos jurados e eu ainda saltando logo após um colombiano, com todo aquele barulho pelo desempenho dele, não foi fácil. Mas procurei ficar com a mente aberta somente para o meu salto e fui bem - comentou Ian Matos, que conquistou o segundo bronze no Sul-Americano.

veja também