MENU

Juninho como inspiração e pai como 'treinador' calibram pé de Bernardo

Juninho como inspiração e pai como 'treinador' calibram pé de Bernardo

Atualizado: Segunda-feira, 15 Agosto de 2011 as 10:04

A camisa 31 do Vasco, o Palmeiras como adversário e a comemoração em frente à torcida, puxando a camisa: todos os elementos fizeram Bernardo lembrar Juninho Pernambucano ao marcar o gol da vitória por 1 a 0. Se há 11 anos o ídolo foi fundamental na conquista da Copa Mercosul em decisão no Palestra Itália, no último domingo, em São Januário, o meia que entrou no segundo tempo da partida honrou a principal característica do Reizinho, cobrando a falta que garantiu três pontos na disputa direta por uma vaga no G-4 do Campeonato Brasileiro. E por honrar, entenda-se observar, praticar e aprender usando a convivência diária com o jogador que é considerado um dos melhores do mundo nas jogadas de bola parada.

Bernardo sabe que com Juninho em campo, dificilmente terá a chance de cobrar uma falta. Mas 18 minutos depois de o camisa 8 deixar a partida do último domingo, coube ao meia a tarefa de executar o chute. E no momento de ajeitar a bola, ele procurou reproduzir com a máxima fidelidade possível o método do ídolo.

- O Juninho sempre foi uma das minhas referências e uma pessoa por quem tenho um carinho especial. Naquele lance, procurei repetir a posição que ele usa para bater faltas, que é sempre a mesma. Treinei muito isso há alguns dias, e felizmente deu certo - comemorou.

José Hélio dá abraço em Bernardo em São Januário após vitória do

Vasco sobre o Palmeiras (Foto: Gustavo Rotstein/Globoesporte.com)

  O gol foi à la Juninho. Mas a homenagem de Bernardo foi para José Hélio. Presente a São Januário, ele recebeu o melhor presente de Dia dos Pais possível. Quando viu o filho acertar a bomba no canto do goleiro Deola, o ex-atacante de Sport e Fluminense, entre outros clubes, voltou ao passado. Pela sua cabeça, passou a imagem do filho pequeno entrando em campo para praticar cobranças após seus treinos.

- Quando eu jogava no interior de São Paulo, levava o Bernardo aos treinamentos. Com 5 ou 6 anos, ele cobrava faltas. Eu colocava uma camisa no canto da baliza e pedia que ele acertasse. Eu não era jogador de bater faltas, era mais um atacante finalizador. Por isso, o dom vem dele mesmo - disse José Hélio, que teve seu nome gravado na camisa 31 usada por Bernardo e entrou em campo ao lado do filho antes do jogo contra o Palmeiras.

Pai sonha ver filho na Seleção Brasileira

Bernardo recebe carinho dos filhos Enzo e Lucca

(Foto: Gustavo Rotstein/Globoesporte.com)

  Quase duas horas depois da partida contra o Palmeiras, Bernardo deixou o vestiário de São Januário, pois foi sorteado para ser submetido ao exame antidoping. Recebido com beijos pelos filhos Enzo e Lucca, ele também se derramou num abraço ao pai. Artilheiro do Vasco na temporada (13 gols) e no Campeonato Brasileiro (cinco gols), o meia ainda busca afirmação na equipe titular. Mas no que depender de José Hélio, em breve despontará para além de São Januário.

- Fico emocionado, porque vejo o Bernardo correndo atrás dos seus objetivos, assim como eu corri, e tenho certeza de que ele será muito feliz. Sempre digo a ele para persistir, fazer um grande Brasileiro e buscar um lugar na Seleção - disse.

No entanto, o próximo passo à frente na busca pela ascensão vai ser adiado. Bernardo levou o terceiro cartão amarelo no último domingo e, por isso, cumpre suspensão na partida contra o Avaí, na próxima quarta-feira, em Florianópolis. Ele será novamente opção do técnico Ricardo Gomes no clássico contra o Fluminense, domingo, no Engenhão, pela 18ª rodada do Brasileiro.            

veja também