MENU

Juninho torce para reviver com Diego Souza antigas duplas de sucesso

Juninho torce para reviver com Diego Souza antigas duplas de sucesso

Atualizado: Quinta-feira, 29 Setembro de 2011 as 2:57

Juninho viveu bons momentos com Pedrinho e

Ramon (Foto: Alexandre Cassiano / O Globo)

  Pelé e Garrincha, Bebeto e Romário, Rivaldo e Ronaldo, Assis e Washington entre outras, são duplas consagradas na história do futebol brasileiro e mundial, a maioria sendo formada só por atacantes. Atuando no meio-campo e em um futebol globalizado onde as mudanças no elenco são constantes, Juninho sabe das dificuldades em colocar seu nome nesse tipo de galeria, mas vê com bons olhos a chance de entrar no hall ao lado de Diego Souza.

- Eu formei algumas duplas interessantes, sem muito destaque, como as grandes duplas. Joguei muito tempo ao lado do Ramon, ao lado do Pedrinho, foram grandes jogos que conseguimos fazer, mas as duplas sempre marcam quando elas fazem muitos gols e eu não sou um artilheiro nato e o Diego faz, mas nunca foi um artilheiro. Seria bacana acabar bem o campeonato, os dois, junto com todo o time, podendo fazer algumas jogadas interessantes juntos, até porque ele é um jogador muito inteligente e isso facilita muito – sonhou Juninho, que rasgou mais elogios ao seu “novo” parceiro.

- Ele é um número 10 bem completo. Ao mesmo tempo em que ele pode levar a bola e tirar dois, três jogadores, ele também sabe dar de primeira e conclui muito bem, chuta de fora de área. Acho-o muito completo e ele está conseguindo aquilo que talvez faltasse a ele, aquela concentração os 90 minutos que um jogador de alto nível precisa ter – elogiou.

Mas para deixar seu nome, mais uma vez na história vascaína, Juninho, ao lado dos companheiros, terá que vencer as 12 “finais” que o Vasco terá pela frente. Por isso, o jogador torce pela volta, o mais rápido possível, de atletas importantes do elenco cruz-maltino.

- Eder continua sendo uma peça fundamental e a gente precisa muito dele, assim como o Alecsandro. O Felipe tem a liderança e só em tê-lo no banco já é bom. Melhor tê-lo com a gente do que ter o Felipe de fora. Agora cada jogo é uma final, por isso eu acho que é importante poder contar com todos até o final do campeonato – afirmou.          

veja também