MENU

Kerlon quer estreia com pé direito no embalado Paraná Clube

Kerlon quer estreia com pé direito no embalado Paraná Clube

Atualizado: Sexta-feira, 4 Março de 2011 as 4:46

Principal contratação do Paraná Clube neste início de temporada, o meia-atacante Kerlon teve direito a duas apresentações oficiais na Vila Capanema. Anunciado como reforço no dia 24 de janeiro, emprestado pela Inter de Milão, o jogador pretendia estrear já no dia 6 de fevereiro, no clássico com o Atlético. Mas a demora para que sua documentação viesse da Europa adiou seu primeiro jogo com a camisa Tricolor por pouco maia de um mês.

Após a longa espera, Kerlon finalmente teve seu contrato regularizado na CBF e foi oficialmente apresentado pelo clube na manhã desta sexta-feira, quando vestiu pela primeira vez a camisa de jogo paranista - até então, o criador do ‘drible da foca’, em que equilibra a bola sobre a cabeça e avança em direção ao gol, havia usado apenas o uniforme de treino da equipe.

  Sem jogar a quase um ano e com um histórico de lesões que impediu que sua carreira decolasse (já passou por seis cirurgias), Kerlon não vê a hora de voltar aos gramados, apesar de ainda não estar em plena forma física.

- Estou realizado porque depois de muito tempo estou voltando a fazer o que eu gosto, a ter a alegria de jogar. Estou muito feliz de estar em um grupo em que eu me sinto bem e que tem muitos jogadores de qualidade. Espero estrear bem para começar a apagar a imagem ruim do primeiro turno que o Paraná fez.

Apesar do desejo de atuar ao longo dos 90 minutos na partida contra o Corinthians-PR, domingo, às 15h30m, no Ecoestádio, o Foquinha admite que foi pego de surpresa com a escolha do técnico Ricardo Pinto, de colocá-lo na equipe titular.

- Acho que foi até mais rápido do que eu imaginava, porque eu achava que teria mais uma semana para treinar. Mas a gente vai pro sacrifício, vai pelo atalho do campo. Deixei bem claro que 100% fisicamente eu não estou. Eu vou no meu limite, é um sacrifício para o corpo, mas eu espero me superar. Lógico que se chegar um momento em que eu já não esteja produzindo eu vou pedir para sair porque tem muita gente com qualidade para ajudar a equipe.

Escalado como meia-armador no ofensivo esquema adotado pelo técnico, Kerlon será o responsável por fazer a bola chegar com qualidade ao trio ofensivo formado por Diego, Renato e Kelvin.

- Sabendo correr legal dá para correr ali com o Diego, com o Kelvin. Mas ali atrás vou tentar dar uma segurada, uma organizada, para ajudá-los a resolver o jogo. A molecada é muito rápida e eu já não agüento acompanhar. Acho que estou ficando velho – brinca o jogador, que tem apenas 23 anos.

Em sua estreia, Kerlon prefere não prometer que fará a jogada que o tornou famoso, mas pretende dar início a uma história bem sucedida no Paraná, com quem tem contrato até o início de agosto.

- O principal é ganhar os jogos. A alegria e a habilidade começam a aparecer a partir do momento em que você vai ganhando. Lógico que tem momentos em que dá para fazer (o drible da foca) e momentos em que não dá para fazer. É um recurso técnico que você tem em um lance que pode decidir, então eu não forço nada, é algo que sai naturalmente. Eu não comecei a fazer isto ontem, eu treino desde os 11, 12 anos de idade e é algo que depende de muita repetição. O que eu prometo é muita vontade, empenho e dedicação. A equipe está bem, vem de duas vitórias consecutivas e a auto-estima está muito boa. Pretendemos começar o segundo turno com o pé direito.    

veja também