MENU

Kleber garante que tem lesão e chama dirigente de 'mau-caráter'

Kleber garante que tem lesão e chama dirigente de 'mau-caráter'

Atualizado: Segunda-feira, 11 Julho de 2011 as 2:21

Está declarada a guerra entre o vice-presidente de futebol do Palmeiras, Roberto Frizzo, e o atacante Kleber, que não enfrentou o Santos, no último domingo, porque voltou a sentir dores na coxa. Após o clássico realizado no estádio do Pacaembu, o dirigente disse que o camisa 30 não havia feito a menor falta e ainda deixou claro que iria estudar o contrato do jogador para ver se poderia aplicar algum tipo de punição pelo fato do Gladiador não ter se apresentado na concentração na tarde do último sábado.

O atacante rebateu. E rebateu forte. Chamou o dirigente palmeirense de mau-caráter, disse que tem em mãos um exame que comprova a sua lesão e que foi o próprio Frizzo quem disse que, após ter recebido a proposta do Flamengo pelo jogador, iria procurar o departamento financeiro do Verdão para estudar a possibilidade de dar um aumento ao atleta.

Frizzo, por sua vez, afirma que Kleber, em reunião no sábado, pediu para sair do Palmeiras, alegando que a proposta do Flamengo é mais vantajosa.

- Eu treinei quinta e sexta normal e no sábado, voltei a sentir um incômodo na coxa que me deixou muito preocupado. Ainda no gramado, o Sérgio do Prado (diretor administrativo), me chamou e disse que o Frizzo gostaria de falar comigo. Fui, conversamos sobre outras coisas e falei a ele que tinha voltado a sentir e que não jogaria. Na sequência, fui à sala do Felipão e, com a presença do médico, repeti que estava com dor. O médico disse que, como as clínicas estavam fechadas, tentaria marcar um exame e que me ligaria, o que não aconteceu. Então eu resolvi ir por conta própria – afirmou o jogador, em entrevista à TV Globo.

Na sequência, o Gladiador entrou ao vivo na rádio Estadão/ESPN e bateu muito em Roberto Frizzo.

- O laudo diz que tem a lesão, quem sente a dor sou eu, não tem nada a ver uma coisa com a outra. Se o Frizzo não é homem, não tem caráter, fica se escondendo o tempo todo e quer me colocar contra a torcida, não é problema meu. Conversamos na semana passada, ele disse que sabia da proposta do Flamengo e que iria conversar com o departamento financeiro e que voltaria a falar comigo. Só que depois disso, ele não atendeu mais o Pepe (Giuseppe Dioguardi, empresário) e nem falou comigo. Ele é medroso, mau-caráter – afirmou o jogador.

Kleber não aceita que cometeu uma insubordinação quando resolveu fazer o exame por conta própria e quando se recusou a ir para a concentração. Ele disse até que o médico pode ter ficado sem ligar por ordem de Roberto Frizzo.     Atacante não sabe quando poderá voltar a jogar

(Foto: Piervi Fonseca / Agência Estado)     - Eu sei a dor que eu tenho. Comuniquei ao médico, que disse que iria me ligar. Passou uma da tarde, passou duas, passou três da tarde e, como ninguém me ligou, fui mesmo. Não estou dizendo que o médico fez de caso pensado, mas pode ser que o Frizzo tenha mandado ele não fazer o exame para que eu entrasse em campo e assim, completasse o sétimo jogo – ressaltou.

O camisa 30 lamentou a situação atual, mas deixou claro: ninguém vai forçá-lo a entrar em campo.

- Eu tenho quase certeza de que isso está acontecendo (querem que eu jogue mesmo machucado para fazer o sétimo jogo). Para mim, isso é medo da pressão do que pode acontecer. Ninguém vai me forçar a nada, ninguém vai me jogar contra a torcida - afirmou.

Kleber voltou a bater forte no desafeto Roberto Frizzo quando foi questionado se os problemas extracampo do Palmeiras atrapalham demais o desempenho da equipe.

- Em 2008, a gente já tinha problemas desse tipo. Em 2009, eu vi de fora o que acontecia. Em 2010, tivemos problemas. Em 2011, continua. O problema é que, infelizmente, tem diretores incompetentes que falam besteira, que não tem coragem, que não assume a responsabilidade. Eu sou profissional, chego para treinar às nove da manhã e sou pago por isso. Ele (Frizzo) não é profissional. Se preocupa mais com o restaurante dele do que com o Palmeiras. Tem dia que nem aparece no clube - lembrou.     Para finalizar, Kleber disse que pode continuar jogando no Palmeiras mesmo tendo uma péssima relação com a diretoria.

- Eu tenho condição de vestir a camisa do Palmeiras para o resto da minha vida. O meu clima com o Felipão é excelente, com os companheiros é excelente, com os funcionários é maravilhoso. Com a diretoria, vai continuar cada vez pior. Não faço questão nenhuma de mudar isso - concluiu.              

veja também