MENU

Kleber melhora números em 2011, mas Felipão nega dependência

Kleber melhora números em 2011, mas Felipão nega dependência

Atualizado: Segunda-feira, 23 Maio de 2011 as 10:06

Os números de Kleber em 2011 impressionam e fazem o Palmeiras ter nele um porto seguro em qualquer partida, por mais difícil que ela seja. Decisivo mais uma vez contra o Botafogo, domingo, na estreia do Brasileirão, o Gladiador reafirma a cada jogo sua condição de principal estrela do time. Mesmo assim, o técnico Luiz Felipe Scolari descarta uma possível dependência excessiva do atacante, autor de um golaço na vitória de 1 a 0, em São José do Rio Preto.

- Não dependemos só dele, mas é claro que é um atleta participativo, vibrante, raçudo e de boa técnica. Muitas vezes ele tem de sair da área e por isso precisamos de outro jogador mais avançado. O Dinei está voltando, temos o Wellington lesionado... Enquanto isso, é espetacular ver o esforço do Kleber em campo - disse o técnico.

Com esse gol, Kleber chegou a 14 na temporada, em 25 partidas. Levando-se em conta as assistências e faltas sofridas que resultaram em gol, o Gladiador participou de 20 dos 47 tentos alviverdes em 2011, o que corresponde a 42,5% do total. Em menos de seis meses, Kleber já superou o desempenho de 2008, seu ano de estreia no clube. Foram apenas 12 em 42 jogos disputados. Em 2010, ano do retorno ao Palmeiras, foram dez gols em 30 jogos.

Kleber comemora o gol diante do Botafogo na estreia do Brasileiro  (Cesar Greco / Agência Estado)     O problema é que ele é o único eficiente no setor ofensivo. Além de Dinei e Wellington Paulista, o Verdão ainda tem Luan e Adriano para compor o ataque. Os dois, aliás, também foram titulares neste domingo e perderam algumas oportunidades ao longo da partida. Logo depois da vitória, Felipão defendeu seus atacantes e disse que treinaria mais para melhorar a pontaria de Luan e Adriano.

Enquanto isso, ele segue confiando na defesa para garantir as vitórias no início do Brasileirão. Depois dos 6 a 0 contra o Coritiba, nas quartas de final da Copa do Brasil, o setor se reorganizou e não foi mais vazado nos dois jogos seguintes. O sistema que prioriza a defesa deve ser mantido.

- Neste momento, temos de trabalhar muito com cuidados defensivos, como temos feito. A medida que fizermos um gol e sairmos na frente, o adversário nos dá chance de fazer o segundo gol, com muito mais facilidade que o primeiro - disse Felipão.            

veja também