MENU

Lance inusitado dá vitória ao Figueirense diante do Cruzeiro: 1 a 0

Lance inusitado dá vitória ao Figueirense diante do Cruzeiro: 1 a 0

Atualizado: Segunda-feira, 23 Maio de 2011 as 8:32

Após dois anos na Série B, o Figueirense voltou bem à divisão de elite do futebol brasileiro. A equipe venceu o Cruzeiro, por 1 a 0, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, gol contra de Marquinhos Paraná. Pelo lado da Raposa, decepção pela má atuação e pelo resultado, já que o time entra no torneio com status de favorito.

Com isso, o Figueirense se torna o terceiro algoz do Cruzeiro na temporada. A equipe do técnico Cuca foi derrotada quatro vezes no ano, sendo que duas vezes para o rival Atlético-MG, no estadual, e uma vez para o Once Caldas, na Taça Libertadores.

Na próxima rodada, o Figueirense vai ao Morumbi, onde encara o São Paulo, no sábado, às 21h (de Brasília). Já o Cruzeiro recebe o Palmeiras, no domingo, às 16h, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

Primeiro tempo sem graça

O Cruzeiro deu a impressão, no início, que a queda nas oitavas de final da Taça Libertadores foi realmente apenas um acidente de percurso. O campeão mineiro valorizava a posse de bola e trocava passes para tentar furar a boa marcação do Figueirense. Chegou a levar perigo ao goleiro Wilson em dois lances de bola parada, com Roger e Montillo.     O Figueirense se preocupava em anular as principais jogadas do rival pelas laterais, com ênfase na marcação sobre os meias Roger e Montillo. O time só assustou a Raposa uma vez no primeiro tempo, em um chute de Reinaldo que o goleiro Fábio defendeu. O camisa 1 celeste foi convocado para a Seleção Brasileira que vai disputar amistosos contra Holanda e Romênia, no próximos dias 4 e 7 de junho, respectivamente.

O primeiro tempo terminou com o Figueirense se preocupando em não levar gols e o Cruzeiro tentando sair da marcação imposta pelos catarinenses.         Gol contra define o jogo

O Figueirense voltou melhor no segundo tempo, e a ousadia foi recompensada com a abertura no placar logo no início da etapa. O gol dos donos da casa saiu em um lance de infelicidade de quem menos se esperava. O goleiro Fábio, que já havia feito grandes defesas, tentou sair de soco em uma cobrança de escanteio, mas mandou em direção à cabeça de Marquinhos Paraná. A bola voltou para o fundo da rede. Festa no Orlando Scarpelli.

O gol deixou o time de Cuca perdido. O treinador celeste tentou mudar a equipe com a entrada de Dudu na vaga de Roger. Montillo, cada vez mais marcado por Maicon e Ygor, parecia não estar em campo. Deixou o jogo para a entrada do atacante paraguaio Ortigoza.

As mudanças pouco surtiram efeito. O Cruzeiro não chegava efetivamente ao gol defendido por Wilson. O Figueira, por sua vez, descia com perigo nos contra-ataques e chegou a acertar a trave, com Reinaldo.

O árbitro ainda deu três minutos de acréscimos, mas o Cruzeiro, na base do abafa, não conseguiu empatar. Já os catarinenses prendiam a bola no campo de ataque só esperando o fim do jogo para comemorar a vitória em seu retorno à elite do futebol brasileiro.          

veja também