MENU

Lenny salva, Palmeiras supera susto em Bragança e volta a vencer

Lenny salva, Palmeiras supera susto em Bragança e volta a vencer

Atualizado: Segunda-feira, 8 Fevereiro de 2010 as 12

O Palmeiras não foi brilhante, mas fez o suficiente neste domingo, dia 7, em Bragança Paulista, para afastar um pouco das cobranças após dois jogos sem vitória. A partida, aliás, sobrou em emoção. Sob forte sol, o time alviverde derrotou o Bragantino, por 3 a 2, mantendo-se próximo da liderança.

Com 2 a 0 no começo da segunda etapa, o Palmeiras cedeu empate no 2º tempo aos 30 min, mas assegurou a vitória graças a um gol de Lenny, que chegou a ser colocado como moeda de troca no início da temporada, a sete minutos do fim do jogo.

"Quando eu entrei, a gente tomou o segundo gol. Aí era ir para cima e tentar fazer o gol, porque com o empate a gente iria se distanciar muito", comentou Lenny, que ficou oito meses parado devido a lesões.

O triunfo no interior fez com que o time do Parque Antarctica chegasse a 12 pontos. O Bragantino soma 8 pontos. O Santos assumiu a liderança do Estadual após vencer o São Paulo, chegando a 16 pontos.

Muricy não relacionou Armero entre os titulares para o compromisso em Bragança. Admitindo não estar com a "cabeça boa", o colombiano ficará temporariamente afastado do time até que se recupere psicologicamente, segundo informou o técnico alviverde.

A dupla Diego Souza/Cleiton Xavier voltou a funcionar. O Palmeiras conseguiu sair em vantagem logo aos 6 min, com Cleiton Xavier, que recebeu passe açucarado de Diego Souza, chutando por cima do goleiro Gilvan. Diego Souza e Xavier haviam participado de 10 dos 12 gols do time até a rodada anterior do Paulista.

Após o gol, o Bragantino esboçou reação. Pela esquerda, o time da casa criava suas ações ofensivas. O Bragantino chegou a marcar um gol aos 20 min, em cobrança de escanteio, mas o árbitro Cleber Abade assinalou falta na defesa alviverde, gerando contestação dos atletas do Braga.

A pressão do time interiorano prosseguia. Mais intenso no ataque no final da primeira etapa, o Bragantino novamente teve um gol anulado pela arbitragem, que assinalou impedimento em jogada ensaiada na área do Palmeiras. Frontini chegou a marcar, sendo avisado da invalidação do lance assim que foi comemorar.

Assista aos gols:

"O presidente chora, a cozinheira chora. Aí fica difícil [validar os gols]", ironizou o atacante Frontini, referindo-se ao mandatário do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo.

À frente no marcador, o Palmeiras só conseguia controlar o jogo quando tabelava no meio-campo, com Xavier e Diego Souza.

Já Robert tinha atuação apagada nos 45 min iniciais, sem finalização a gol. O atacante, entretanto, desencantou no segundo tempo. Logo aos 6 min, Robert aproveitou falha do goleiro Gilvan, que soltou a bola no pé do atacante, e anotou o segundo gol do Palmeiras no jogo.

O Bragantino voltou a incomodar o Palmeiras. Em cobrança de falta, Diego Macedo chutou no contrapé de Marcos, que apenas assistiu bola acertar o canto direito, aos 10 min.

A pressão do Bragantino recomeçou após diminuir a vantagem. Frontini pediu pênalti em lance com Edinho, aumentando as reclamações do Bragantino sobre a arbitragem.

Marcos salvou o Palmeiras, impedindo empate aos 30 min, quando saltou nos pés de Quixadá, que havia invadido a área para o chute. Três minutos depois foi a vez de Quixadá levar a melhor sobre Marcos. O atacante, que entrou no segundo tempo, precisou chutar duas vezes para empatar a partida.

O jogo em emoção. De volta ao Palmeiras após se recuperar de lesão (ficou oito meses parado), o atacante Lenny recolocou o Palmeiras na frente, aproveitando cruzamento de Cleiton Xavier.

Desesperado, o Braga tentou o empate, mas sem sucesso.

veja também