MENU

Liedson dá "soco no estômago" do Fla e garante a liderança do timão

Liedson dá "soco no estômago" do Fla e garante a liderança do timão

Atualizado: Sexta-feira, 9 Setembro de 2011 as 7:09

Estádio lotado, os dois times de maior torcida em campo, clima de decisão... O tão esperado reencontro entre concorrentes à liderança do Brasileirão no primeiro turno foi bom. E decidido nos minutos finais. Depois de sair na frente, com Deivid, o Flamengo viu uma empolgante virada do Corinthians por 2 a 1, no Pacaembu, com dois gols de Liedson. Dois “socos no estômago”, na verdade. Minutos antes de construir a vitória corintiana, o camisa 9 havia levado um soco de Gustavo, fora do lance. O juiz não viu e por isso não deu cartão.

Com esse triunfo, a equipe do Parque São Jorge vai a 43 pontos e se mantém na primeira colocação do Campeonato Brasileiro pela 16ª rodada consecutiva. O Flamengo, por sua vez, já soma sete partidas sem vitória e vê aumentar a distância para o líder: tem 36 pontos e está em quinto lugar. Mesmo assim, continua na zona de classificação para a Libertadores porque o Vasco, campeão da Copa do Brasil, é o terceiro.

Como já era esperado, o público lotou o Pacaembu. Foram 35.392 pagantes (37.707 presentes) para uma renda de R$ 1.284.311,50. A partida marcou também uma série de homenagens a Sócrates, um dos maiores ídolos da história do Timão. Internado em estado grave por conta de uma hemorragia digestiva, provocado por uma cirrose, o ex-jogador do Corinthians teve seu nome estampado nas costas de todos os atletas do clube nesta quinta-feira. E a arquibancada exibiu algumas faixas de apoio ao Doutor da Bola.

Timão joga bem, mas Fla aproveita melhor

O técnico Flamengo, Vanderlei Luxemburgo, ignorou a forte presença do torcedor corintiano. Conhecedor do fanatismo da Fiel, deu de ombros para a pressão e jogou a responsabilidade para os jogadores dentro de campo.

- A torcida do Corinthians é muito bonita lá fora. Ela não desce aqui no campo. Aqui dentro é o time do Flamengo contra o do Corinthians.

É fato, porém, que o Timão começou melhor. Empurrado por sua torcida? Pode até ser. Mas certamente o embalo teve a ver com o clima de decisão da partida. Com Paulinho aparecendo como surpresa e Emerson dando rapidez ao toque de bola, o dono da casa encurralou o Flamengo nos primeiros 15 minutos.

Os números provaram a superioridade alvinegra nesse período. Foram seis finalizações contra apenas uma do adversário, mas elas tiveram pela frente um Felipe inspirado no gol. Muito xingado pela torcida do Corinthians, o camisa 1 foi fundamental para os visitantes.

Aos poucos, depois de suportar a pressão do rival, o Flamengo se encontrou e achou espaço. Foi, aliás, mais eficiente no seu lampejo. Um chute de fora da área de Thiago Neves deu origem ao escanteio que Ronaldinho Gaúcho bateu, Renato Abreu desviou, e Deivid completou para o gol, aos 28: 1 a 0.

Se contra o Santos, time em que atuou e foi ídolo, o atacante optou por não comemorar, o mesmo não aconteceu diante do Corinthians, clube em que também jogou e foi destaque, em 2002. O Timão sentiu o gol, claro, mas insistiu no empate até o fim do primeiro tempo. Esbarrou, no entanto, na falta de pontaria. Torcida corintiana faz homenagem a Sócrates com bandeira (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Liedson dá ‘soco no estômago’

Embora o Timão tenha feito um bom primeiro tempo, o placar desfavorável irritou o torcedor, que recebeu o time na etapa final com gritos de “vamos jogar bola” e “se o Corinthians não ganhar, o pau vai quebrar”. Só que o técnico Tite apostou na mesma equipe, assim como Luxemburgo.

Bastaram 11 minutos para o comandante alvinegro ver que era preciso mudar algo. Willian, então, entrou na vaga de Jorge Henrique. Enquanto isso, o Flamengo, mais solto, dominava o jogo. O lance de Renato Abreu aos 12 minutos mostrou isso. O meia deu por entre as pernas de Alessandro e quase completou um drible da vaca em Ralf em seguida.

Mas uma falta perigosa em favor do Corinthians, aos 14 minutos, deu esperanças aos corintianos e colocou medo nos rubro-negros. A cobrança de Chicão, porém, bateu no travessão de Felipe. No minuto seguinte, um lance de agressão: Gustavo deu um soco no estômago de Liedson. A arbitragem não viu.

Recuperado da agressão, Liedson respondeu com o gol de empate. Após cobrança de lateral de Alessandro, Willians cabeceou para trás, e a bola sobrou para o camisa 9 chutar forte. Houve ainda um leve desvio na perna de Welinton, enganando Felipe.

Após o empate, o Corinthians recuperou o volume de jogo. Mas o Flamengo ainda era perigoso nos contra-ataques. A cada minuto mais nervoso, o jogo ficou duro e também com erros de passes de ambos os lados. Os treinadores, portanto, tentaram mudar a partida com algumas substituições.

Mas quem resolveu foi Liedson, o nome do jogo. Ao melhor estilo corintiano, com muito sofrimento, ele virou a partida aos 43 minutos. Willian cruzou pela direita, Paulinho desviou, e o atacante emendou de primeira, permitindo aos corintianos comemorar a liderança como se fosse um título.

veja também