MENU

Löw promete atacar a Espanha e diz que não treinou cobranças de pênalti

Löw promete atacar a Espanha e diz que não treinou cobranças de pênalti

Atualizado: Quarta-feira, 7 Julho de 2010 as 9:43

O técnico Joachim Löw, da   Alemanha , afirmou nesta terça-feira, véspera do duelo decisivo contra a   Espanha , que não vai mudar seu estilo de jogo para a partida em Durban. Sempre reforçando que sua equipe está focada e cheia de autoconfiança após os triunfos sobre   Inglaterra   e   Argentina , o treinador disse que a chave para o triunfo é pressionar o rival.

- Não temos por que ser defensivos contra a Espanha. Vamos continuar com nosso estilo ofensivo, pois foi ele que nos trouxe até aqui. Contra a Argentina e Inglaterra nós continuamos insistindo (em atacar) mesmo quando estávamos liderando o placar. Se não for agredindo, pressionando, não teremos chances. Temos de força a defesa deles a se retrair - salientou Löw.

Perguntado se havia treinado cobranças de pênaltis para uma possível disputa no caso de um empate no tempo normal e na prorrogação, Löw assegurou que é contra esse tipo de trabalho.

- Nunca ninguém está pronto para os pênaltis. E não vejo sentido em treinar isso. Simular uma situação dessa é impossível, pois a pressão é muito grande e, para quase todos, é a cobrança de sua vida. O mais importante é que temos ótimos batedores e que possuem nervos para essa tarefa - observou.

Ainda na dúvida   Sobre o substituto da revelação Thomas Müller, que está suspenso, Löw afirmou que a briga está entre três jogadores. Entre eles, o teuto-brasileiro Cacau que, recuperado de uma lesão no abdômen, participou dos últimos treinamentos da equipe depois de ter ficado fora dos confrontos contra Inglaterra (oitavas de final) e Argentina (quartas de final).

- Trochowski, Kroos e Cacau. Será um deles. Mas vou decidir apenas amanhã (quarta-feira). Sobre Cacau, ele trabalhou normalmente. Nosso departamento médico vai examiná-lo novamente para saber se o treinamento teve algum impacto. Mas acho que vamos poder usá-lo - salientou.

O técnico também voltou a afirmar que não pensa em vingança contra a Espanha pela derrota na decisão da Euro de 2008 e que sua equipe evoluiu desde então.

- É claro que ficamos desapontados, mas a Espanha foi melhor e mereceu vencer o torneio. Mas, dois anos depois, as duas seleções tiveram mudanças. E acho que o jeito que jogamos até agora e os resultados na Copa mostra que melhoramos claramente e que estamos vários passos à frente de 2008. Mas a Espanha continua sendo um dos times mais fortes do mundo - ressaltou Löw.

veja também