MENU

Lucas se torna referência da sub-20 e preserva estilo: 'Procuro ser exemplo'

Lucas se torna referência da sub-20 e preserva estilo: 'Procuro ser exemplo'

Atualizado: Quarta-feira, 26 Janeiro de 2011 as 4:21

O estilo de Lucas chama atenção de quem assiste aos jogos da Seleção Brasileira sub-20, no Peru. Com a camisa para dentro do calção durante os 90 minutos, o jogador do São Paulo segue na contramão da maioria dos atletas, que entram em campo mais "largados". Mas não é apenas no visual que craque do time canarinho atrai os olhares mais atentos da arquibancada: o futebol do garoto também é de gente grande.

Com apenas 18 anos, Lucas herdou a camisa 10 da Seleção sub-20, que luta por uma vaga nas Olimpíadas de 2012, em Londres, e outra no Mundial, em julho, na Colômbia. Ciente de que lado de Neymar é uma das estrelas da equipe formada pelo técnico Ney Franco, ele em nenhum momento foge da responsabilidade.

No bate-papo exlusivo com o GLOBOESPORTE.COM, Lucas revelou ser mais tímido do que a maioria dos companheiros, de que prefere uma boa leitura a uma partida de videogame e de que busca a perfeição para ser uma referência no São Paulo e na Seleção Brasileira. Confira abaixo a íntegra da entrevista com o craque canarinho.

GLOBOESPORTE.COM: O que significa a camisa 10? LUCAS: Significa muito, uma responsabilidade imensa. Sempre assisti aos jogadores consagrados com essa camisa, o Rivaldo, o Ronaldinho e o Kaká. Sempre me inspirei muito neles e agora chegou a minha vez. Na hora que eu soube, fiquei surpreso, mas pulei de alegria porque era um sonho meu vestir essa camisa. Um monte de jogador queria estar no meu lugar, mas estou tendo esse privilégio. Sabia da responsabilidade que era vestir essa camisa, mas me preparei ao máximo e estou pronto para fazer o meu melhor.

Quando falam em camisa 10, o que passa pela sua cabeça?

L: Vem um ponto de referência. Todo time quando entra em campo e analisa o adversário vê que o camisa 10 é aquele que articula as jogadas, o destaque da outra equipe. Penso dessa maneira e procuro fazer o meu melhor para ser esse jogador na Seleção. Um atleta que leva o time para frente, que serve os atacantes para eles marcarem os gols. Procuro fazer isso.

Uma outra curiosidade chama atenção no seu estilo dentro de campo. Você costuma jogar com a camisa para dentro do calção os 90 minutos. É uma mania?

L: É uma característica minha, sempre gostei de ter uma boa postura dentro de campo, de ser um exemplo. Meu pai sempre me cobrou isso, de que eu tinha que ter a postura de jogador, de atleta, e eu sempre ouvi isso dele. Mas não interfere. Tem jogador que gostam de atuar com a camisa para fora e eu gosto de estar mais certinho.

  O Neymar é o craque mais badalado desse Seleção sub-20, você já é um craque mais moderado. É por aí mesmo?

L: Cada um tem o seu estilo. Ele é mais solto, mais extrovertido, eu sou mais tímido. Brinco bastante, mas longe das câmeras. Sou mais acanhado. Acredito que por causa disso, todos já conheçam o Neymar e querem marcar ele dentro de campo. O pessoal acaba esquecendo de mim e é aí que eu aproveito os espaços.

Quando iniciou no São Paulo você era o Marcelinho. Pouco depois passou a ser chamado por Lucas. Acha que todos já sabem quem é o Lucas? Já deu o seu cartão de visitas?

L: Acredito que a cada dia que passa o povo está me conhecendo mais. Procuro fazer o meu melhor. A fama é a consequência. Quando eu entro em campo pelo São Paulo ou pela Seleção, eu dou o meu sangue pelo time, procuro ajudar o máximo. E ser conhecido é fruto do que você faz dentro de campo.

O que costuma fazer na concentração?

L: Na concentração eu fico mais na internet, gosto de ler livros, sou mais sossegado. Gosto de ver televisão, de falar com os meus pais. Leio muito para ficar mais zen, mais tranquilo para o jogo.     E qual livro trouxe na mala para o Sul-Americano sub-20?

L: Trouxe um livro que eu ganhei do meu preparador físico na base do São Paulo, o Lucas (irmão do Muller, ex-jogador), que se chama "Nunca desista dos seus sonhos". Ganhei no ano passado, mas até hoje não terminei (risos). Estou lendo aos poucos, na concentração, e espero terminar agora na Seleção.

E qual livro marcou mais a sua vida?

L: Já li muitos, mas esse é o que está mais marcando a minha vida. Acho que estou vivendo esse livro. Corro atrás dos meus sonhos desde moleque e estou conseguindo realizá-los. Esse livro te passa muitas mensagens positivas e foi o que mais me marcou.        

veja também