MENU

Lúcio, um jogador sempre em atividade: no campo real, ou no virtual

Lúcio, um jogador sempre em atividade: no campo real, ou no virtual

Atualizado: Quarta-feira, 30 Março de 2011 as 1:28

Combinando um apelido de infância ao próprio nome no perfil que o identifica, Lúcio convive de forma praticamente anônima com os integrantes das comunidades de jogadores do futebol virtual no modo online. Quando não está defendendo o Grêmio nos campos reais, com o perfume da grama liberado pelo atrito das travas das chuteiras, o camisa 11 tricolor liga o videogame na sala de casa e conecta-se à espera de desafiantes.   E Lúcio adora ser convocado à peleia. São pelo menos dez disputas diárias. Ele acessa a sala de participantes e aguarda. Os chamados não tardam. São jogadores de futebol virtual, na grande maioria brasileiros, espalhados pelo país e pelo mundo todo. Mal sabem eles o que os espera.   O meia gremista domina um grande repertório de jogadas. Dedica especial atenção ao jogo, a ponto de praticamente não piscar. Vidrado na tela, gosta de usar os fones para provocar, ou então envia mensagens por escrito. Se alguém está ao lado, explica as 'manhas'.

- Este chute é assim. Você aperta este, depois este, depois este - demonstra o didático anfitrião.

Em seu perfil, Lúcio ostenta mais de 500 pontos conquistados com vitórias, e 199 troféus - dois parâmetros utilizados como rankeamento para os desafiantes conhecerem o nível do jogador. Raras vezes ele revela a identidade. Até porque os adversários costumam desdenhar:

- Um dia um gremista me desafiou. Eu aceitei, e disse 'cara, sou o Lúcio, do Grêmio'. Ele riu e respondeu 'sei, e eu sou o coelhinho da Páscoa'.     Lúcio comanda o Barcelona. Tem uma formação ideal, invariavelmente no 4-3-3 com dois volantes, alternando bastante as jogadas. Quando está dedilhando os botões do controle, sempre leva ao virtual os conhecimentos adquiridos no futebol real, onde atua profissionalmente há mais de 11 anos.

- Eu nunca escalo jogador fora de posição, porque o rendimento pode cair. E não mudo o sistema tático para manter o padrão de jogo. Foi o que o Renato (Gaúcho) fez no Grêmio desde que chegou. Ele colocou um padrão de jogo  - explicou.

Quando veste a camisa tricolor, também aplica algum conhecimento adquirido nos games:

- Ali (apontando a tela) a marcação dele (referindo-se ao adversário): ele marca bem. Não posso ficar muito tempo com a bola. É sempre de primeira. Quando eu jogo (futebol real) no meio-campo também procuro fazer isso. Tocar rápido e movimentar para receber.

A paixão de Lúcio pelo videogame começou há um ano e meio. Ele tem predileção pelas acirradas disputas online, com adversários desconhecidos, provocações e a obsessão pela conquista de mais pontos e troféus, elevando o rankeamento do perfil. Nas concentrações, costuma jogar com o amigo André Lima, que agora recupera-se de lesão.

Após quase duas horas de conversa na entrevista exclusiva ao GLOBOESPORTE.COM, Lúcio despediu-se da reportagem sem desligar o videogame. Enquanto abria a porta do apartamento, apareceu na tela um novo desafio. O meia gremista ainda carregava consigo o controle. E a despedida se deu desta forma: a boca falava com os visitantes que iam embora, mas os dedos já acionavam os botões para aceitar o chamado, e colocar novamente o Barcelona em campo.      

veja também