MENU

Lusa vence ?rugido? e superstição do Sport e mantém invencibilidade

Lusa vence ?rugido? e superstição do Sport e mantém invencibilidade

Atualizado: Domingo, 14 Agosto de 2011 as 9:23

A Portuguesa entrou em campo sob vaias e um rugido de leão que saiu dos alto-falantes para tremer a Ilha do Retiro. O clima para o Sport era de guerra, e o locutor no estádio incentivava: “Guerreiros, lutem”. Não seria um jogo fácil para o líder da Série B. Mas a Lusa conseguiu administrar a pressão e segurou o grito dos rubro-negros no estádio. A vitória por 3 x 2 manteve o time paulista em primeiro lugar na tabela, com 36 pontos, e a invencibilidade de sete rodadas. O jogo teve o recorde de público na Série B neste ano: 22.043 pessoas viram a partida na Ilha do Retiro. A marca anterior era 21.754, para Goiás x Paraná.

Com 23 pontos, o Sport caiu para o sétimo lugar, perdendo posição para ASA e Vitória. O Leão volta a jogar na terça-feira, quando vai a Americana (SP) para enfrentar o time da casa, às 21h50m, no Décio Vitta. Já a Lusa receberá o Vila Nova, no mesmo dia, às 19h30m, no Canindé.

Antes do jogo, os torcedores rubro-negros contaram com a superstição. A voz que ecoava na Ilha dizia: “Hoje é dia 13, e Sport na Série A tem 13 letras”. Para um jogo difícil, valia tudo para dar confiança ao time. E os jogadores entraram no clima.

A pressão do Leão surpreendeu a Lusa no início do jogo. Mesmo com a zaga assustando e deixando Ananias na frente de Magrão, que salvou os donos da casa com boa defesa.

Depois do primeiro lance de perigo da Lusa, Magrão pôde descansar. O jogo ficou apenas de um lado. A Lusa jogava no contragolpe, e dava espaço para o ataque rubro-negro. Teve Paulista driblando o goleiro e parando no corte da zaga, Júnior Viçosa cabeceando para bela defesa de Weverton, Marcelinho Paraíba querendo imitar o gol-surpresa que fez contra o Náutico com um cruzamento que foi em direção à meta e até mesmo tentativa de gol olímpico na cobrança de escanteio pela direita do camisa 10.

O melhor ataque do campeonato, com 35 gols até então, estava apagado. A Portuguesa abusou dos contra-ataques e esqueceu de pressionar como líder. Em casa, o Sport tomou conta do jogo, mas ofereceu um festival de gols perdidos.

Júnior Viçosa, do Sport, disputa a bola com Mateus, da Portuguesa, na Ilha do Retiro (Foto: Agência Estado)

Contra-ataque da Lusa dá resultado No retorno ao segundo tempo, porém, o ataque da Lusa acordou. Ananias acelerou no contragolpe e Edno tentou um voleio. Em vão. A bola passou muito longe da meta de Magrão. Em resposta, Willians, que entrou no lugar de Paulista, fez fila na zaga paulista e passou para Marcelinho Paraíba, que parou na defesa de Weverton. A torcida pediu Bruno Mineiro.

Do banco, Mazola ouviu, mas não tirou os olhos do campo. Thiaguinho derrubou Ananias no lado esquerdo da entrada da grande área. Na cobrança de falta, Marco Antônio colocou a bola no ângulo direito de Magrão e abriu o placar para a Lusa. Silêncio na Ilha do Retiro aos 12 do segundo tempo.

Gol de Willians acorda o Leão

Mazola, então, atendeu ao pedido dos rubro-negros e chamou Bruno Mineiro para o lugar de Diego Torres. O Sport continuou pressionando, mas, dessa vez, a zaga lusa fechou o caminho. E, aos 24, Edno acelerou pela esquerda para deixar todo mundo para trás. Parou na defesa de Magrão, mas, sozinho, Ananias ficou com a bola e só tocou para as redes.

O segundo gol da Portuguesa entristeceu a Ilha do Retiro. Até a chuva, que caiu durante o dia e tinha parado no início do jogo, fez com que os guarda-chuvas voltassem às arquibancadas. Mazola tirou Marcelinho Paraíba e colocou Maylson. Jorginho respondeu com Ferdinando no lugar de Renato.

O Sport não se rendeu. Após cobrança de escanteio, Bruno Mineiro cabeceou e Willians mandou para as redes aos 27. O clima de guerra voltou à Ilha do Retiro. Os gritos, as palmas. O Leão acordou de novo. Bruno Mineiro tentou duas vezes o empate. Não deu.

Do outro lado, em mais um contra-ataque, Ananias caiu na área, derrubado por Hamilton. Pênalti para a Lusa. Os torcedores rubro-negros gritaram que Magrão é o melhor goleiro do Brasil. Edno ignorou a torcida adversária e mandou direto no canto direito para marcar o terceiro gol dos visitantes.

Aos 46, Bruno Mineiro acelerou e chutou cruzado. Weverton defendeu, mas Maylson mandou a bola para a redes para marcar o segundo gol do Sport.Mas não dava tempo para a reação do Leão. Edno levou o décimo-primeiro cartão amarelo do jogo, e o árbitro deu o apito final que fez o silêncio voltar à Ilha do Retiro.    FOnte: Globo Esporte

veja também