MENU

Mais punido na F-1, Schumi confirma sua fama após espremer Barrichello

Mais punido na F-1, Schumi confirma sua fama após espremer Barrichello

Atualizado: Terça-feira, 3 Agosto de 2010 as 2:10

Michael Schumacher detém a maior parte dos recordes na Fórmula 1. Além dos sete títulos, o alemão foi o que mais venceu (91), fez mais poles (68) e marcou mais melhores voltas (76). Entretanto, ele também é dono de outra marca na maior categoria do automobilismo mundial, um pouco mais incômoda: a de piloto que mais foi punido nos 60 anos de história.

A última delas foi recebida na Hungria. Os comissários de prova da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) decidiram punir Michael Schumacher por ter jogado Rubens Barrichello no muro quando o brasileiro fez a ultrapassagem a poucas voltas do fim. O alemão da Mercedes perderá dez posições no grid da Bélgica, no dia 29 de agosto.

A história de Schumacher com as punições começa no GP da Inglaterra de 1994. Após receber bandeira preta e ser desclassificado da corrida, o alemão ignorou a ordem de ir para os boxes e continuou na pista. Resultado: duas corridas de suspensão. No mesmo ano, ele acabou se sagrando campeão da Fórmula 1 pela primeira vez após jogar o carro em cima do de Damon Hill na Austrália, provocando o abandono de ambos. Mas ele escapou de sanções.

Três anos mais tarde, Schumacher decidiria o campeonato de 1997 com mais uma manobra controversa. O alemão jogou o carro no de Jacques Villeneuve, seu rival, mas levou a pior e acabou atolado na caixa de brita. Além de perder o título, ele foi excluído daquela temporada, perdendo o vice-campeonato, mas mantendo as vitórias e os pontos do ano.

Em 2006, Schumi protagonizou uma das mais vergonhosas cenas da história do GP de Mônaco. Após marcar o primeiro tempo no treino classificatório, o alemão resolveu "estacionar" seu carro na curva La Rascasse, uma das mais lentas do traçado, enquanto Fernando Alonso, na época na Renault, estava em sua volta rápida. A bandeira amarela impediu que o espanhol melhorasse sua marca. Algumas horas depois, os comissários o puniram com a exclusão do treino: passaria a largar em último.

Em 2010, no ano de seu retorno à categoria, Schumacher já tentou usar de sua malandragem. No GP de Mônaco, o alemão ultrapassou Alonso na última volta, quando a corrida estava sob o regime do safety car. Como o carro de segurança entrou nos boxes para que os carros completassem a prova, ele ultrapassou o espanhol na última curva. Ele recebeu um acréscimo de 20 segundos a seu tempo final de prova e saiu da zona de pontuação.

O incidente aconteceu quando o safety car deixou a pista, já na última volta, após uma colisão entre Karun Chandhok e Jarno Trulli. O alemão aproveitou para superar Alonso na entrada da curva Anthony Noghes. Segundo o artigo 40.13 do regulamento esportivo da Fórmula 1, "se a corrida termina enquanto o safety car estiver na pista, ele entrará no pit lane no fim da última volta e os carros receberão a bandeira quadriculada normalmente sem ultrapassagens."

veja também