MENU

Mancini quer responder a Berlusconi em campo: 'Ele é o dono e fala o que quiser'

Mancini quer responder a Berlusconi em campo: 'Ele é o dono e fala o que quiser'

Atualizado: Quarta-feira, 10 Fevereiro de 2010 as 12

Um dia após ser contratado pelo Milan, Mancini leu nos jornais que Silvio Berlusconi, primeiro-ministro italiano e dono do time, havia criticado o presidente do clube, Adriano Galliani, por ter tirado o brasileiro do Inter de Milão por empréstimo de seis meses. Ninguém gostaria de chegar assim a uma equipe e o ex-jogador do Atlético-MG não é exceção. Mas para o antigo lateral-direito que virou atacante só há uma solução: provar que o mandachuva rubro-negro está errado.

Em entrevista por e-mail ao GLOBOESPORTE.COM, Mancini afirmou que pretende fazer Berlusconi mudar de opinião dentro de campo, suando a camisa do Milan e provando que José Mourinho estava errado ao encostá-lo no Inter. O atleta nem gosta de falar do técnico português, que chegou a ironizar a transferência dizendo que estava "muito feliz mesmo por Mancini ter se juntado ao Milan". Agora, vida nova sob o comando de Leonardo, um velho conhecido e responsável pelo bem-estar da colônia brasileira no lado vermelho e preto de Milão.

GLOBOESPORTE.COM: O que te motivou a trocar o Internazionale pelo Milan? Não teve medo da rivalidade entre os clubes te prejudicar?

MANCINI: Primeiro, o Leonardo e Galliani demonstraram muito interesse em me contratar. Segundo, no Inter eu não estava jogando. Eles me procuraram e graças a Deus deu certo: vida nova. Não acho que a rivalidade me prejudicará não. Sinto carinho e respeito por onde tenho passado.

O que representa ser treinado pelo Leonardo? É uma segurança de que terá mais chances, pois ele o conhece há bastante tempo?

É muito gratificante ser treinado pelo Leonardo, pois ele sempre teve interesse em me levar para o Milan. Agora, com ele como treinador, melhor ainda. O Leonardo demonstra muita confiança em mim e em campo eu vou fazer o máximo para retribuir essa confiança. Isso, para um jogador, é muito importante.

Você se arrependeu de ter trocado o Roma pelo Inter? Se tivesse continuado na Roma, acha que teria jogado mais na temporada?

No Roma eu fiz a minha história, me dei muito bem, fiz coisas muito importantes. Ganhei a Copa da Itália e a Supercopa da Itália. Minha passagem foi excelente. No Inter não deu certo, mas não me arrependo de ter jogado lá não.

Como era seu relacionamento com José Mourinho? Você teve algum problema com ele? Ele chegou a te explicar porque não te escalava muito?

Eu prefiro não comentar isso... Meu presente é no Milan e com o Leonardo e estou muito feliz por isso.

Faltam menos de seis meses para a Copa do Mundo. Você acha que tem chances de ser convocado? A mudança para o Milan tem relação com a Copa?

Acho difícil, mas nunca impossível. Fiz parte da seleção, pude ajudar e estarei sempre à disposição. Entendo que fiquei muito tempo parado e isso pode ter me prejudicado muito. Por isso agora só penso em jogar, o que vier depois é consequência.

Por falar em seleção, muito se comenta sobre o Ronaldinho jogar a Copa. Você acha que ele merece uma nova chance? Como tem sido esse contato com ele no Milan? Ele realmente está em uma fase acima dos outros?

Atualmente, ele está muito bem no Milan, tem feito gols e jogado bem. Todos nós sabemos o talendo do Ronaldo.

Quando você chegou ao Milan, Silvio Berlusconi disse que não aprovava a sua contratação. Ficou magoado? Essa opinião dele te motiva ainda mais para dar a volta por cima no Milan?

Eu respeito a opinião dele, ele é o dono do clube e pode falar o que ele quiser. Eu tenho que me preocupar só em trabalhar, coisa que eu sempre fiz na minha carreira, e correr em campo.

Por: Thiago Dias

veja também