MENU

Mano classifica briga entre jogadores como "fato isolado"

Mano classifica briga entre jogadores como "fato isolado"

Atualizado: Sexta-feira, 4 Dezembro de 2009 as 12

O técnico Mano Menezes não estava no gramado do Parque São Jorge quando o meia Marcinho e o lateral direito Denis começaram a trocar socos e pontapés na manhã desta sexta-feira. Cerca de meia hora depois, no entanto, apareceu na sala de imprensa do Parque São Jorge para minimizar o entrevero.

''São coisas que realmente acontecem no futebol, mas é o primeiro episódio desse tipo que presencio em dois anos de Corinthians. Devemos encarar como um fato isolado'', disse Mano, demonstrando irritação com a insistência no assunto. ''Foi um fato isolado. Não entenderam? Fa-to i-so-la-do'', pronunciou as sílabas.

Marcinho e Denis também deverão ser isolados do restante dos seus companheiros. A briga começou porque o meia não gostou de uma entrada mais forte do lateral, durante o rachão comandado pelo preparador físico Walmir Cruz. Respondeu com um carrinho. Seguiram-se socos e pontapés, apartados pelo paraguaio Balbuena e pelo volante Moradei.

''Existe uma punição para casos assim, de acordo com o nosso regulamento interno. A gente não abre mão da disciplina. Os adversários devem estar do outro lado, e não aqui'', avisou Mano, sem revelar qual será a sanção (provavelmente uma multa) aos jogadores.

As dispensas de Marcinho e Denis já estavam definidas pela comissão técnica do Corinthians. O meia chegou ao clube após a Copa do Brasil, foi bastante vaiado como lateral esquerdo improvisado e acabou na reserva. O lateral só treina no clube para manter a forma física, à espera de convites de outras equipes. ''Mas não é hora de falar nessas questões'', contrariou o treinador.

Mano Menezes, no entanto, não quer que as agressões prejudiquem o futuro dos jogadores. ''Não vamos crucificar ninguém, pois foi uma exceção'', reforçou. Marcinho tem contrato com o Corinthians até o início de 2010. O vínculo de Denis, empresariado por Carlos Leite (mesmo agente de Mano), só vencerá no dia 31 de agosto de 2011.

Por Helder Júnior

veja também