MENU

Médico do Vasco diz que intenção é manter Gomes sedado até domingo

Médico do Vasco diz que intenção é manter Gomes sedado até domingo

Atualizado: Sexta-feira, 2 Setembro de 2011 as 3:50

No fim da manhã desta sexta-feira, o técnico Ricardo Gomes voltou a ser sedado em função de um quadro de agitação na noite de quinta-feira. Alexandre Campello, médico do Vasco, esteve no Hospital Pasteur, na Zona Norte do Rio de Janeiro, para visitar o treinador e, após conversa com a equipe que avalia diariamente o caso, revelou que a intenção é manter os sedativos até domingo.

  A partir daí, eles novamente vão suspender os medicamentos para tentar finalmente retirar o tubo e a respiração por meio de aparelhos. Apesar de parecer uma regressão, Campello tratou de tranquilizar aos que ficaram mais preocupados e disse que o caso é normal. O objetivo é deixá-lo cada vez mais pronto para este quadro, que, com certeza, irá se repetir.

- É perfeitamente normal um quadro de agitação. Foram muitas visitas e muita emoção. Quando os sedativos forem retirados, este quadro deve se repetir. Mas aí isso irá acontecer em um cérebro cada vez mais estabilizado. Volto a dizer que a evolução está muito boa, o hematoma regrediu completamente e a pressão intracraniana está normal. A sedação dá tempo de normalizar ainda mais e a intenção da equipe é mantê-la até domingo - afirmou.

Entenda o caso

Ricardo Gomes sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) no segundo tempo do clássico entre Flamengo e Vasco, no último domingo, no Engenhão. Foi levado inicialmente para o centro médico do estádio e, em seguida, encaminhado para o Hospital Pasteur, na Zona Norte do Rio de Janeiro, onde foi submetido a uma cirurgia que durou cerca de três horas e meia. A hemorragia no cerébro em decorrência do AVC sofrido pelo treinador foi estancada, e a circulação, restabelecida.

No ano passado, quando ainda comandava o São Paulo, Ricardo Gomes teve uma vasculite, considerada um pequeno AVC, e precisou ficar internado após o clássico contra o Palmeiras, pelo Campeonato Paulista. No entanto, o médico do Vasco Clóvis Munhoz assegura que o problema não é relacionado com o enfrentado pelo treinador na outra ocasião.          

veja também