MENU

Médicos descartam nova cirurgia, mas estado de Gomes ainda é grave

Médicos descartam nova cirurgia, mas estado de Gomes ainda é grave

Atualizado: Terça-feira, 30 Agosto de 2011 as 10:52

j_4695.jpgFabio Miranda, Ricardo Periardi e José Guasti

explicam quadro de Ricardo Gomes

(Foto: Rafael Cavalieri / Globoesporte.com)       Médicos que acompanham Ricardo Gomes no Hospital Pasteur, na Zona Norte do Rio de Janeiro, Fábio Miranda e José Antônio Guasti, concederam entrevista coletiva, na manhã desta terça-feira, para explicar o quadro do técnico do Vasco. Os dois descartaram a chance de o treinador passar por uma nova cirurgia e ter uma doença mais grave como aneurisma cerebral ou má formação. No entanto, ele ainda corre o risco de morte.

- A angiotomografia cerebral, exame moderno que mostra circulação cerebral, afastou a possibilidade de má formação que possa ter contribuído para a hemorragia. Isso é bom para a recuperação, afastando nova cirurgia - disse José Antônio Guasti, que operou o comandante vascaíno, na noite de domingo.

Segundo o clínico responsável pelo acompanhamento diário do treinador, Fábio Miranda, a evolução é satisfatória, embora o estado de Gomes ainda seja grave.

- Foi operado há 48h, e a evolução é satisfatória. Não há nenhum tipo de alteração. A monitorização feita no CTI, assim como tomografia, não mostram nada. Sinais de boa evolução clínica. O estado ainda é grave, mas hoje foi um dia muito bom - explicou.

Ricardo Gomes passou a noite desta terça-feira sem sofrer qualquer tipo de intercorrência. O técnico permanece em coma induzido e respira com o auxílio de aparelhos desde que terminou a cirurgia emergencial realizada para diminuir o hematoma no cérebro e reestabelecer a circulação sanguínea.

Entenda o caso Ricardo Gomes se sentiu mal no clássico entre Flamengo e Vasco, no último domingo, no Engenhão. Ele foi levado, inicialmente, para o centro médico do estádio, e, em seguida, encaminhado para o Hospital Pasteur, na Zona Norte do Rio de Janeiro, onde foi submetido a uma cirurgia que durou cerca de três horas e meia.  A hemorragia no cerébro em decorrência do AVC (acidente vascular cerebral) sofrido pelo treinador foi estancada e a circulação, restabelecida.

No ano passado, quando ainda comandava o São Paulo, Ricardo Gomes teve uma vasculite, considerada um pequeno AVC, e precisou ficar internado após o clássico contra o Palmeiras, pelo Campeonato Paulista. No entanto, o médico do Vasco Clóvis Munhoz assegura que o problema não é relacionado com o enfrentado pelo treinador na outra ocasião.            

veja também