MENU

Melhor, mas nem tanto: defesa derruba Verdão no segundo turno

Melhor, mas nem tanto: defesa derruba Verdão no segundo turno

Atualizado: Segunda-feira, 12 Setembro de 2011 as 10:59

Oscar, do Inter, disputa com Henrique, do Palmeiras

(Foto: Idário Café/VIPCOMM)

  Boa parte da recente fase positiva do Palmeiras pode ser creditada à sua sólida defesa, que tinha dois pilares confiáveis em Henrique e Thiago Heleno, mais reservas de nível razoável como Maurício Ramos e Leandro Amaro. Mas nos quatro jogos do segundo turno do Campeonato Brasileiro, o eficiente sistema de marcação da equipe de Luiz Felipe Scolari azedou: após a derrota por 3 a 0 para o Inter, neste domingo, no Pacaembu, o Verdão chegou a nove gols sofridos nessa nova fase da competição – média de 2,25 por jogo. Após a vitória por 2 a 1 sobre o Corinthians, que fechou o primeiro turno, o time empatou duas vezes e perdeu outras duas.

A queda de rendimento no setor é assombrosa. Em 19 jogos realizados no turno inicial, o Palmeiras só foi vazado 14 vezes, média de 0,73 por confronto. Mesmo depois dos três gols de Leandro Damião, o Verdão ainda sustenta o posto de melhor defesa do Brasileirão, com 23 sofridos, ao lado do Corinthians .     O desempenho preocupa, e Felipão já sinaliza com mudanças no setor. Pode promover a entrada de mais um volante no meio-campo, ou até mesmo trocar os nomes da defesa. Henrique, convocado para a Seleção Brasileira, vem tendo atuações abaixo da média e foi presa fácil para Damião em dois dos três gols. No meio-campo, nomes como Luan e Marcos Assunção vêm colaborando menos do que o normal na marcação. Pequenas mudanças de comportamento que derrubaram a performance defensiva da equipe.

- Não que isso vá tirar meu sono, mas tenho de pensar se preciso modificar um pouco a forma de jogo para voltar a ter consistência, para que eu tenha de novo a solidez defensiva como base para ganhar os jogos – analisou Felipão.

Ao menos em um quesito a defesa não falhou. Dos três gols de Damião, nenhum foi de bola aérea, problema crônico apresentado durante toda a temporada. Contra o Inter, o Palmeiras conseguiu neutralizar bem esse tipo de jogada. Mesmo assim, Henrique desabafou no fim do jogo.

- Hoje não defendemos, não jogamos, não fizemos nada.

Ataque também vai mal

Apenas o Ceará fez menos gols do que o Palmeiras no returno do Brasileirão: três. Com quatro, o Verdão divide o posto de segundo pior ataque dessa parte final do campeonato com Cruzeiro, Bahia e Atlético-PR. As chances vêm sendo criadas e satisfazem Felipão, mas o técnico sente que falta “algo mais” para a bola voltar a entrar. No total, o Palmeiras marcou 29 vezes em 23 jogos.

- Em alguns jogos estamos criando, e bem. Ainda não tenho os dados, mas até os 20 minutos do segundo tempo criamos umas dez oportunidades, sendo cinco vivas de gol. Não acertamos. Pelo menos estamos criando algumas chances que antes não criávamos. Não tenho motivo para ficar apavorado, se meu time continuar jogando assim teremos alguma coisa no futuro. Já disse outras vezes que falta algo, um “plus”.

O Palmeiras volta a campo no próximo domingo, contra o Avaí, às 16h (de Brasília), na Ressacada. O rival do Verdão está na zona de rebaixamento, com 21 pontos na tabela.          

veja também