MENU

Mercedes decide não apelar de decisão contra Schumi

Mercedes decide não apelar de decisão contra Schumi

Atualizado: Terça-feira, 18 Maio de 2010 as 5:05

A Mercedes decidiu não contestar a decisão da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) que puniu o alemão Michael Schumacher com 20 segundos de acréscimo ao tempo total da prova por uma ultrapassagem ilegal durante o Grande Prêmio de Mônaco, ocorrido no último domingo, com dobradinha da Red Bull de Mark Webber (primeiro) e Sebastian Vettel (segundo colocado).

A três voltas do final da prova, um acidente envolvendo o indiano Karun Chandhok e o italiano Jarno Trulli fez com que o safety car entrasse na pista para controlar a situação. Na última volta, o carro de segruança encaminhou-se aos boxes, o que fez Schumi pensar que poderia correr normalmente, e assim ele ultrapassou Fernando Alonso, terminando em sexto.

No entanto, o artigo 40.13 da FIA não permite que ultrapassagens sejam feitas nesta situação, quando as provas terminam com o safety car estando presente na pista na última volta. Assim, o alemão foi punido e ficou em 12º lugar, perdendo os pontos que conquistaria com a sexta posição.

Segundo a revista britânica Autosport, logo após a prova a Mercedes argumentou que a corrida não terminou efetivamente com o safety car na pista - o que realmente aconteceu, pois ele foi para os boxes antes da bandeirada final - e que a direção da prova deu o aviso de que a pista estaria livre com as bandeiras e faróis verdes.

A escuderia alemã publicou um comunicado oficial nesta terça-feira, afirmando que não foram os únicos a entender a ação dos diretores do GP de Mônaco dessa forma. ''Isso parece ter sido partilhado pela maioria das equipes com os carros posicionados nas dez primeiras colocações, que também deram instruções aos seus pilotos para ir até a linha de chegada''.

Na noite de domingo (no horário local), a Mercedes notificou a FIA pela decisão tomada contra a penalidade imposta a Michael Schumacher. Mas agora, decidiu abandonar a causa e desistir de apelar da punição, por considerar que a medida pode ter diversas interpretações.

''Apesar denão estarmos contentes com o ocorrido, acreditamos que a FIa entendeu os motivos de nossa interpretação. Pelo interesse no bom andamento do esporte, a Mercedes decidiu não entrar com uma apelação da punição'', encerrou o comunicado.

veja também