MENU

Milagre ou confirmação? As metas de Palmeiras e Coritiba no Pacaembu

Milagre ou confirmação? As metas de Palmeiras e Coritiba no Pacaembu

Atualizado: Quarta-feira, 11 Maio de 2011 as 9:59

Felipão já conseguiu 7 a 0 no Palmeiras: missão ingrata (Foto: Marcos Guerra / Globoesporte.com)

  Nesta quarta-feira, às 21h50m, no Pacaembu, Palmeiras e Coritiba não querem saber de empate. De um lado, o Verdão volta a campo contra o Coxa buscando uma missão ingrata: sete gols em 90 minutos para chegar à semifinal. E o time não pode tomar um golzinho sequer. Do outro, um rival que já soma 24 vitórias seguidas - um recorde histórico no futebol brasileiro - busca a confirmação de uma campanha histórica em 2011. Duas vitórias seguidas sobre o Palmeiras credenciariam ainda mais a equipe paranaense para a sequência da temporada.

O Palmeiras acredita, sim, em milagres. No comando do clube, Felipão já conseguiu uma vez o resultado do qual necessita nesta quarta: em 1999, o Verdão venceu o Racing-ARG por 7 a 0 em jogo válido pela Copa Mercosul. Claro que as circunstâncias eram bem diferentes, mas torcedores já se apegam à história. Poucos, porém, devem comparecer ao Pacaembu. A venda de ingressos registrada até o fim da tarde de terça-feira foi muito baixa.

Coritiba vem bem após goleada histórica no Couto Pereira (Foto: Geraldo Bubnak / Ag. Estado)

  Do outro lado,  o Coritiba quer aumentar sua sequência histórica em cima de um rival que ainda busca explicações para a goleada do Couto Pereira. Com um conjunto muito forte, o time de Marcelo Oliveira pretende seguir sua caminhada de recordes. O clube já está entre os maiores no quesito vitórias consecutivas. È hora também de testar o elenco que o Coxa possui. Afinal, são cinco desfalques entre jogadores suspensos e machucados.

O GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances da partida em Tempo Real a partir das 21h50m, com vídeo dos principais lances. O árbitro do confronto será Nielson Nogueira Dias (PE), auxiliado por Márcia Lopes Caetano e Josemmar Diniz Moutinho.

Palmeiras: a dignidade, principalmente. Depois da goleada histórica, resta ao Palmeiras conseguir ao menos uma vitória simples para resgatar a confiança e levantar o astral para o Campeonato Brasileiro. Para se classificar, o time precisa vencer por sete gols de diferença ou aplicar um novo 6 a 0 e tentar a vaga nos pênaltis.

Coritiba: podendo perder por 5 a 0 ou por seis gols de diferença caso marque ao menos uma vez, o Coxa está muito perto de confirmar sua passagem para as semifinais da Copa do Brasil. Desde que a competição começou a ser disputada, em 1989, o Coritiba foi semifinalista em três oportunidades – em 1991, 2001 e 2009 -, mas jamais chegou à final. Caso vença, o time amplia para 25 vitórias seguidas seu recorde nacional no quesito.

Palmeiras: Luiz Felipe Scolari vai com uma formação mais defensiva para o duelo, com três volantes: Chico ganhou a vaga de Patrik. Na frente, Wellington Paulista será titular pela primeira vez desde que chegou, e será o parceiro de Kleber. Gabriel Silva substitui o suspenso Rivaldo, enquanto Thiago Heleno volta de suspensão e será titular. O time: Marcos, João Vitor, Danilo, Thiago Heleno e Gabriel Silva; Chico, Márcio Araújo, Marcos Assunção e Lincoln; Kleber e Wellington Paulista.

Coritiba: o técnico Marcelo Oliveira não conta com o zagueiro Pereira, o lateral-esquerdo Eltinho e o meia-atacante Marcos Aurélio, lesionados, além do volante Léo Gago e do meia Rafinha, suspensos. Sem cinco titulares, o treinador surpreende ao escalar o zagueiro Demerson, que acaba de retornar de empréstimo ao Botafogo-SP. O Coritiba vai a campo com: Edson Bastos; Jonas, Demerson, Emerson e Lucas Mendes; Leandro Donizete, Willian, Everton Ribeiro e Davi;

Anderson Aquino e Bill.

Palmeiras: Wellington Paulista fará seu primeiro jogo como titular do Palmeiras. A partir de agora, a tendência é que o camisa 9 ganhe mais espaço na equipe, ainda mais depois das constantes críticas a Luan. Mesmo em um jogo que já não vale muita coisa, ele terá a chance de mostrar trabalho ao comandante.

Coritiba: Everton Ribeiro, que substitui o suspenso Rafinha, vai a campo tentando manter o bom retrospecto recente diante do Palmeiras. Além de assistir do banco de reservas à exibição de gala do Coxa no Couto Pereira, na goleada por 6 a 0, o meia foi titular do São Caetano na vitória por 4 a 1, no Palestra Itália, no Campeonato Paulista de 2010.

Luiz Felipe Scolari, técnico do Palmeiras: "O impossível não existe. Às vezes se torna bem mais difícil que o normal, mas o impossível não existe. Temos trabalhado e conversado isso com nossos atletas ".

  Demerson, zagueiro do Coritiba: "Espero que a gente consiga ampliar esta sequência de vitórias e que consiga fazer um bom jogo. Acho que o Coritiba hoje é um dos clubes a ser batido. Mas temos que continuar com a mesma concentração, com os pés no chão e a cabeça no lugar para seguir conquistando os resultados"

*Invicto em 2011, após 29 partidas disputadas, o Coritiba vem de uma sequência de 24 vitórias. O que lhe deixa, segundo dados da UEFA (Federação Europeia de Futebol), em quarto lugar na lista dos clubes donos das maiores séries de triunfos. O Coxa perde apenas para o português Benfica, com 29 vitórias consecutivas entre 1971 e 1973; para o croata Dínamo Zagreb, com 28, em 2006; e para o escocês Celtic, com 25, entre 2003 e 2004.

*O Coritiba marcou gols em todos os jogos que disputou este ano. Se mantiver a marca, poderá perder por até seis gols de diferença para avançar às semifinais da Copa do Brasil. De acordo com o Grupo Helênicos, que pesquisa a história do clube, o Coxa perdeu por seis ou mais gols de desvantagem apenas uma vez. Em 26 de janeiro de 1930, o Coritiba perdeu por 7 a 0 para o Palestra Itália paranaense, um dos clubes que deu origem ao atual Paraná Clube.

A última vez que Palmeiras e Coritiba se enfrentaram foi na partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil, na última quinta-feira, no Couto Pereira. Com o apoio de quase 30 mil torcedores, o Coxa fez sua melhor exibição em 2011, goleando por 6 a 0. Emerson, Davi e Léo Gago marcaram na primeira etapa; Bill, Geraldo e Anderson Aquino fecharam o placar no segundo tempo.        

veja também