MENU

Ministério Público de São Paulo veta nove estádios para o Campeonato Paulista

Ministério Público de São Paulo veta nove estádios para o Campeonato Paulista

Atualizado: Quinta-feira, 14 Janeiro de 2010 as 12

O Ministério Público de São Paulo reprovou nove estádios que deveriam ser usados pelos times do estado no Campeonato Paulista. Cinco desses locais estão marcados para receber jogos neste fim de semana, inclusive a estreia do Corinthians contra o Monte Azul domingo, no estádio Santa Cruz em Ribeirão Preto.  O local, porém, ainda será vistoriado nesta quinta para tentar ser liberado.

Os confrontos deste fim de semana que correm maior risco são Rio Claro x Botafogo, Ituano x Mirassol e Bragantino x Oeste, marcados para sábado. Isso porque o prazo para o estádio ser liberado é de 48 antes da partida. Ou seja, esses locais têm de ser regularizados até às 17h de hoje. Sertãozinho x Barueri, no domingo, é o outro jogo sob risco, mas tem até sexta-feira para se adequar.

Marco Pólo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol, porém, disse que os jogos poderão ser realizados em estádios vetados. Mas, nesse caso, sem a presença de público.

- Em último caso, os jogos serão realizados com portões fechados. Mas sem o laudo, e dentro do prazo, o estádio não será liberado. O prazo é de 48h, a Federação aguardará até as 17h (de hoje) - disse Del Nero ao Arena SporTV.

Morumbi, Pacaembu, Vila Belmiro e Palestra aprovados com restrições

Após analisar laudos da Vigilância Sanitária, do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil, os promotores Paulo Castilho e Roberto Senise Lisboa vetaram os seguintes estádios: AMA (Monte Azul), Décio Vita (Americana), Augusto Schimidt Filho (Rio Claro), Novelli Júnior (Itu), Canindé (São Paulo), Frederico Dalmazo (Sertãozinho), Ildenor Picardi Semeghine (Itápolis), Nabi Abi Chedid (Bragança Paulista) e Santa Cruz (Ribeirão Preto).

- A Federação está sendo notificada e vai tomar as decisões mais acertadas. Tenho certeza que irão achar a melhor saída. Não queremos inviabilizar o campeonato e prejudicar o futebol. Só queremos que a lei seja cumprida e que o consumidor, que é o torcedor, tenha conforto e segurança - disse Paulo Castilho.

O promotor também explicou que, se ocorrerem jogos nestes estádios no próximo fim de semana, será sem o amparo dos Bombeiros e da Polícia Militar. O MP ainda poderá entrar com uma ação na Justiça contra a Federação e os clubes que mandarem partidas em campos reprovados.

Além desses, outros foram “aprovados com restrições”: Anacleto Campanella (São Caetano do Sul), Bruno José Daniel (Santo André), Morumbi (São Paulo), Pacaembu (São Paulo), Palestra Itália (São Paulo), Jaime Cintra (Jundiaí), Eduardo José Farah (Presidente Prudente), Vila Belmiro (Santos) e José Maria de Campos Maia (Mirassol). O estádio Papa João Paulo II, em Mogi Mirim, não poderá receber jogos porque não entregou os laudos.

- Alguns estádios têm restrições mínimas, fáceis de fazer, mas outros têm muita coisa para arrumar. Ninguém quer ver uma tragédia como ocorreu na Bahia recentemente (em 2007, sete pessoas morreram num desabamento de parte da arquibancada da Fonte Nova). Sei que a Federação Paulista vai nos apoiar - completa Paulo Castilho.

Por: Laura Fonseca

veja também