MENU

Mistão do Corinthians empata e vê ameaça ao G-4

Mistão do Corinthians empata e vê ameaça ao G-4

Atualizado: Segunda-feira, 22 Fevereiro de 2010 as 12

Com uma escalação repleta de reservas, o Corinthians não saiu do 0 a 0 com o Rio Branco na noite deste sábado, pelo Campeonato Paulista. Os comandados do técnico Mano Menezes jogaram mal e decepcionaram os 10 mil torcedores que compareceram à Arena Barueri, a nova e provisória casa do clube alvinegro no Estadual.

Com o empate, o Corinthians soma 19 pontos e pode terminar a décima rodada fora do G-4. Perderá espaço na zona de classificação à fase final caso, no domingo, Santo André e São Paulo vençam Grêmio Barueri e Palmeiras, respectivamente, e o Botafogo não perca do Bragantino.

"Não se pode fazer um Carnaval por esse empate sendo que perdemos 40 gols. Os caras [do Rio Branco] não fizeram nada, e nosso time criou bastante. Claro que é um tropeço pois jogamos em casa, mas não faltou ocasião de gol, pena que não fizemos para selar a vitóra. Agora é pensar na quarta-feira", ponderou o experiente Edu. No meio de semana, acontece a estreia pela Copa Libertadores, contra o Racing, do Uruguai, no Pacaembu.

"Não podemos analisar em cima de vaias, porque a cultura do futebol brasileiro é assim mesmo. Vamos continuar trabalhando. Temos uma competição muito difícil como a Libertadores pela frente, e junto com o Paulista. Não abriremos mão de nada porque estamos preparados para isso", analisou Marcelo Mattos, ao ser questionado sobre a chiadeira dos torcedores após o empate.

Preocupado com o torneio continental, principal ambição corintiana no centenário, Mano poupou sete titulares neste sábado. Apenas Alessandro e o capitão William foram a campo, assim como Iarley, que luta por uma vaga na equipe principal.

"Troquei muitos jogadores justamente para quem entrar pensar o menos possível na Libertadores e, sim, exclusivamente neste jogo", argumentou o comandante corintiano, antes de a bola rolar.

Confira os melhores lances da partida:

Já o Rio Branco atravessa uma crise financeira e os atletas estão sem receber. Mesmo assim o técnico Ademir Fonseca disse que não faltaria ânimo diante de um clube grande. E ele estava certo.

"A diretoria não cumpriu a promessa de pagar na sexta, e isso causou um certo desgaste. Esses problemas têm que ficar do lado de fora, e existe a motivação de jogar contra uma massa como essa do Corinthians", observou Fonseca.

O primeiro tempo foi movimentado, com o time de Parque São Jorge mais presente no setor ofensivo. Entretanto, o quarteto ofensivo formado por Edu, Morais, Defederico e Iarley pecou no toque final, e o goleiro Cristiano teve pouco trabalho.

O conjunto do interior buscava contragolpear, porém esbarrava na retaguarda rival. Rafael Santos realizou duas boas defesas em arremates de longa distância.

"A gente ataca bastante e sobra um pouco de espaço aqui atrás para o Rio Branco. Estamos trabalhando para substituir o Felipe", comentou o goleiro de 20 anos, na saída para o intervalo.

William reclamou do antijogo, já que o árbitro não puniu ninguém com amarelo nos 45 minutos iniciais. "Esse excessivo número de faltas inibe qualquer time que queira jogar futebol."

Dentinho ganhou a vaga de Morais na volta para o segundo tempo, e o Corinthians aumentou a pressão. Entretanto, a melhor oportunidade pertenceu aos visitantes. Anselmo Ramón fez bela jogada, mas desperdiçou um chute na cara do goleiro.

O Corinthians respondeu com Dentinho e Souza, porém o placar não saiu do zero.

Por: Carlos Padeiro

veja também