MENU

Molecada do Santos elimina o Galo, e torcida tira onda de Luxa e do Corinthians

Molecada do Santos elimina o Galo, e torcida tira onda de Luxa e do Corinthians

Atualizado: Quinta-feira, 6 Maio de 2010 as 9:57

A molecagem continua solta na Copa do Brasil. O Santos superou o Atlético-MG, nesta quarta-feira à noite, na Vila Belmiro, e agora vai enfrentar o Grêmio nas semifinais da competição (assista aos gols no vídeo ao lado). Atuando com três atacantes (Neymar, André e Robinho), o Peixe voltou a ser insinuante e fez 3 a 1 no Galo - os mineiros haviam vencido a primeira partida por 3 a 2, em BH.

Antes da partida, provocações. O técnico Vanderlei Luxemburgo, do Atlético, não gostou de ouvir os santistas tirando onda dele na festa do Paulistão, domingo passado, e prometeu troco. Ficou só na promessa.

- Ele tem de entender que aqui quem manda é o Santos - declarou o lateral-esquerdo Léo após o jogo.

Ao contrário do que aconteceu nas finais do Paulistão, quando sofreu gols rápidos do Santo André, o Santos entrou em campo bem mais atento, marcando forte as saídas de bola do Atlético-MG, que ficou acuado, sem conseguir passar a linha do meio de campo. O técnico Dorival Júnior voltou a escalar três atacantes, e André entrou para formar o trio com Robinho e Neymar. Marquinhos ficou no banco.

O domínio santista se transformou em gol aos 16 minutos, quando Neymar e Paulo Henrique Ganso roubaram a bola pela esquerda. O meia passou para o atacante, que foi à linha de fundo e cruzou para trás. André entrava livre pelo meio, na pequena área, e só teve o trabalho de empurrar para o gol.

A essa altura da partida, a classificação às semifinais era do Santos, que diminuiu o ritmo e deu campo para o Atlético jogar. O time mineiro adiantou bem sua marcação, tanto que a dupla de zagueiros formada por Werley e Jairo Campos passou a atuar no círculo central. Encolhido, o Peixe buscava encaixar algum contra-ataque, mas tinha dificuldades para retomar a bola.

O Galo quase empatou aos 34, quando Diego Tardelli veio cortando da esquerda pelo meio e chutou de direita. A bola saiu rasteira e bateu na trave direita de Felipe. No rebote, Pará afastou. Apesar do clima criado antes da partida, o comportamento de Tardelli, que se sentiu ofendido pelos santistas no último domingo, foi absolutamente normal. Os jogadores do Peixe, durante a comemoração do título estadual, fizeram uma brincadeira com o gerente de futebol Jamelli no palco, mas o atacante do Galo entendeu "Tardelli" e encarou como provocação.

Quando o Atlético parecia mais perto do gol, o Peixe enfim armou um contra-ataque mortal. Aos 43, Pará roubou a bola de Jairo Campos, desceu pela direita e acertou um belo passe para Robinho, que foi ao fundo e chutou cruzado. Neymar, que entrava livre pelo meio, estufou as redes.

Mas o tempo para as tradicionais dancinhas foi curto. O Galo deu a saída rápida. Após um cruzamento pela esquerda, Felipe tentou afastar e pegou mal. Ganso completou, mas Correa pegou o rebote e chutou forte, diminuindo o placar.

O Galo estava bem vivo.

No fim, festa e gozações em cima de Luxa

O gol do Atlético não assustou o Santos, que, mais uma vez, partiu para cima assim que o árbitro apitou. Logo aos quatro minutos, em cobrança de falta, a bola sobrou para Edu Dracena na área. O zagueiro só rolou para Wesley dominar e chutar forte para marcar o terceiro do Peixe.

Após sofrer o terceiro gol, o técnico atleticano foi para o tudo ou nada. Tirou o volante Correa e o lateral-esquerdo Júnior, lançando, respectivamente, o meia Evandro e o veterano atacante Marques.

O jogo se tornou morno, mas tenso. O Santos tinha espaço para atacar, mas errava passes. O Atlético, apesar de ter mais atacantes, não conseguia envolver o time santista, que seguia perigoso no contra-ataque. Aos 33, Robinho roubou a bola de Zé Luís e disparou em direção ao gol. Era só marcar e deixar a classificação encaminhada. Quando chegou na frente de Aranha, porém, o Rei das Pedaladas errou o alvo.

Neymar, que, apesar do gol, teve uma atuação discreta, foi substituído por Zé Eduardo, que passou a formar dupla com Robinho, pois André saiu para a entrada de Marquinhos. A essa altura, o Santos já tinha o jogo sob domínio e as coisas para o Galo pioraram quando, aos 37, Ganso aplicou um drible desconcertante em Fabiano, que apelou. Como já tinha amarelo, foi expulso.

O Atlético, bravamente, se lançava para o ataque em busca de um gol para levar a decisão para os pênaltis. Carlos Alberto, pela direita, mostrava disposição e levava vantagem sobre Alexsandro, do Santos.

No entanto, faltaram pernas para os atleticanos. O Peixe colocou a bola no chão, tocou de um lado para o outro e apenas esperou o tempo passar. Após o apito final, duas explosões de alegria na Vila Belmiro: uma pela classificação e outra pela eliminação do Corinthians, que venceu o Flamengo por 2 a 1, mas foi desclassificado da Taça Libertadores.

E ainda teve coro:

- Ô Vanderlei, pode esperar, a sua hora vai chegar - cantou a torcida, repetindo o que os jogadores do Peixe fizeram no último domingo.

Foi, de fato, uma noite perfeita para os santistas.

veja também