MENU

Montillo decide mais uma vez, e Cruzeiro derrota o Coelho por 3 a 2

Montillo decide mais uma vez, e Cruzeiro derrota o Coelho por 3 a 2

Atualizado: Segunda-feira, 28 Março de 2011 as 8:39

Um grande jogo. Essa é a definição da partida entre América-MG e Cruzeiro, realizada no estádio Melão, em Varginha, válida pela oitava rodada do Campeonato Mineiro. As equipes buscaram a vitória desde o início, e o placar de 3 a 2 a favor da equipe celeste fez justiça ao time que se apresentou mais ao ataque. O América-MG também fez um bom jogo, mas, em determinados momentos, deixou o parte ofensiva de lado. Os gols do Cruzeiro foram marcados por Thiago Ribeiro, Léo e Montillo. O Coelho descontou com Leandro Ferreira, duas vezes.     A torcida que lotou o estádio viu uma partida muito movimentada, repleta de alternativas no placar. Mas viu principalmente a grande partida de Montillo. O argentino foi o grande maestro da equipe e responsável direto pelos três pontos conquistados. O Cruzeiro teve mais posse de bola e mais presença no ataque, mas o América-MG, com um futebol de muita consciência, equilibrou a partida e também teve chances de vencer.

Com o resultado, o Cruzeiro se manteve na liderança, com 22 pontos ganhos, matematicamente classificado para as semifinais. Já o Coelho caiu para a quarta posição, com 16, atrás também de América TO e Atlético-MG, segundo e terceiro colocados respectivamente.

Agora, a Raposa volta a se concentrar na Taça Libertadores. Na próxima quarta-feira, às 21h50m (de Brasília), o time enfrentará o Guaraní, do Paraguai, pela quinta rodada do Grupo 7. Pelo estadual, o compromisso será no domingo, às 16h, na Arena do Jacaré, diante do Guarani, de Divinópolis. O América-MG, por sua vez, encara o Tupi, sábado, às 16h, em Juiz de Fora.

Igualdade no Melão

O clássico de Varginha começou empolgante. Logo de cara, o Cruzeiro partiu para o ataque, com bolas cruzadas na área do goleiro Flávio. Porém, o América-MG tratou de mudar a característica da partida e, já no primeiro ataque, chegou ao gol, aos quatro minutos. Leandro Ferreira avançou com a bola e, da entrada da área, após tabelar com o marcador cruzeirense, bateu no canto esquerdo de Fábio: 1 a 0.

O Cruzeiro sentiu o golpe, e o Coelho, na sequência, quase fez o segundo. A bola tocou na trave direita de Fábio, depois de um bate-rebate incrível. O zagueiro Gil, de forma definitiva, mandou para a lateral.

O América-MG marcava forte, no meio-campo e defesa, e irritava os jogadores do Cruzeiro. Por reclamação, Roger levou o cartão amarelo, em uma falta que favorecia o Cruzeiro. O Coelho tocava a bola com muita consciência e buscava os contra-ataques, sempre com muito perigo.

Mas o Cruzeiro cresceu de produção e começou a espremer o América-MG na própria defesa. Roger e Montillo começaram a jogar bem e a criar várias situações de gols. O zagueiro Léo, de cabeça, também perdeu a oportunidade de empatar.

E foi dos pés de Montillo que saiu o gol de empate, aos 41 minutos. O argentino, pela direita, descolou um cruzamento perfeito, na medida para Thiago Ribeiro, que só teve o trabalho de tocar para o fundo das redes. Depois da pressão celeste, a Raposa empatou o jogo: 1 a 1.

Montillo decisivo O América-MG voltou mudado no ataque para a segunda etapa. O técnico Mauro Fernandes tirou Luciano, que quase não pegou na bola no primeiro tempo, e colocou Thiago Silvy. Mas quem de verdade se modificou em campo foi o Cruzeiro. A equipe voltou elétrica, com muita força no ataque. E, logo aos quatro minutos, a Raposa virou o placar. Roger, pela esquerda, cruzou para Gil, e, no rebote, Léo tocou para o fundo das redes.

O América-MG, por sua vez, não sentiu o golpe e empatou logo em seguida, aos seis minutos. Após um escanteio pela esquerda, a bola sobrou para Leandro Ferreira que, de fora da área, bateu firme, no canto direito baixo de Fábio. A bomba morreu nas redes cruzeirenses: 2 a 2.

A partir daí, o ritmo caiu um pouco, e os treinadores partiram para as substituições. Netinho entrou no América-MG, enquanto Everton e Wellington Paulista reforçaram o Cruzeiro, que passou a jogar com três atacantes.

Aos poucos, o Cruzeiro passou a merecer a vitória, já que o Coelho abdicou de atacar. E aos 39 minutos, Montillo avançou pela intermediária adversária, tabelou com Wallyson e finalizou com perfeição, no canto direito de Flávio: 3 a 2. Mais uma vez, o argentino garantiu a vitória celeste.      

veja também