MENU

Montillo elogia Mancini: 'Pelo menos, damos três passes seguidos'

Montillo elogia Mancini: 'Pelo menos, damos três passes seguidos'

Atualizado: Quarta-feira, 19 Outubro de 2011 as 3:33

Montillo entende que o Cruzeiro melhorou com

Vágner Mancini (Foto: Idário Café / Vipcomm) O Cruzeiro não vence há 11 jogos, na pior sequência da equipe na história do Campeonato Brasileiro. Nesse período, três treinadores passaram pelo comando da equipe: Joel Santana, Emerson Ávila e, por fim, Vágner Mancini. O último já está à frente da Raposa há quatro jogos. Por enquanto, foram dois empates (São Paulo e Bahia) e duas derrotas (Grêmio e Corinthians). Mesmo com o mau aproveitamento, o argentino Montillo considera que o Cruzeiro melhorou bastante. O meia entende que as vitórias estão muito perto de acontecer.

- O Cruzeiro melhorou muito com a chegada do Vágner e, se não conseguimos a vitória, conseguimos dar três passes seguidos, o que não acontecia. É estranho pensar que o time não ganha há 11 rodadas e ainda não está na zona de rebaixamento. Temos que pensar para frente. São oito jogos, oito finais. Infelizmente, temos que estar com a calculadora na mão. O time segue o trabalho e acredita no treinador. Antes, o time não criava chances de gol. Agora, sim.

Novo desafio

Pela frente, o Cruzeiro tem o Atlético-GO, neste domingo, às 18h (de Brasília), na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. O adversário, para Montillo, é dos mais difíceis.

- Estamos no caminho certo, mas vamos pegar um time que está bem, que fez três gols no São Paulo, um time difícil. Teremos uma semana longa para trabalhar, jogadores que não vão jogar, como Everton e Wellington Paulista. É trabalhar e acreditar no que o treinador vai colocar em campo.

Montillo é mais um que não consegue explicar a má fase do Cruzeiro. O argentino relembrou o início do ano, quando o time foi campeão mineiro e considerado a sensação da Taça Libertadores, antes de ser eliminado pelo Once Caldas, da Colômbia, nas oitavas de final.

- No primeiro semestre, todo mundo falava em “Barcelona das Américas”, esse monte de coisas que, no fim, atrapalharam. Às vezes, você chuta com o calcanhar, e a bola entra. Hoje, não mais. Nos últimos 11 jogos, só começou um jogo na frente, contra o São Paulo. É aí que temos que melhorar. O time tem que ganhar, porque correr atrás é muito difícil. Temos que nos esforçar um pouco mais.          

veja também