MENU

Morte cerebral de Sondermann é confirmada e família quer doar órgãos

Morte cerebral de Sondermann é confirmada e família quer doar órgãos

Atualizado: Segunda-feira, 4 Abril de 2011 as 1:08

Após ter morte cerebral anunciada na noite do último domingo, o óbito encefálico do piloto Gustavo Sondermann foi confirmado nesta manhã. O paulista se envolveu em um grave acidente durante a etapa de São Paulo da categoria de acesso à Stock Car. Ao chegar ao hospital onde foi atendido, o piloto teve constatadas várias fraturas em virtude do forte impacto: traumatismo craniano grave, hemorragia cerebral difusa e fratura da primeira vértebra cervical. Mais de 12 horas após o anúncio da morte cerebral, Gustavo ainda continua respirando através de aparelhos e a família já deu entrada para a doação dos seus orgãos.

A doação envolve um processo burocrático e ainda deve demorar mais um dia. Portanto, o velório e o sepultamento do piloto devem apenas acontecer nesta quarta-feira, dia 6.

O dono do carro do carro 48 da equipe J.Star Racing tinha 29 anos e havia sido campeão da categoria de pick-ups em 2008. Além de ter corrido no kart e na categoria de acesso à Stock Car, o piloto disputou por dois anos consecutivos a principal categoria do automobilismo brasileiro.

O outro piloto envolvido no acidente, Pedro Boesel, não corre risco de morte. O paranaense de 29 anos teve apenas fraturas na clavícula e no tornozelo. O dono do carro 11 da W2 Racing deverá ficar internado por mais um ou dois dias.

Como foi o acidente Gustavo Sondermann entrava na curva do Café - uma das partes mais perigosas do Autódromo de Interlagos, em São Paulo, quando foi atingido e rodou na pista. O carro 48 acabou sendo acertado por vários veículos, mas o pior deles foi com Pedro Boesel, dono do carro 11. Após a colisão violenta, Sondermann foi retirado do carro pela equipe médica da categoria. O piloto teve uma parada cardiorrespiratória, mas acabou sendo reanimado pelo dr. Dino Altmann, responsável pelo atendimento médico da categoria. O paulista foi encaminhado para o centro médico de Interlagos, teve seu quadro estabilizado e depois foi levado para o Hospital São Luiz na capital paulista.

Luto no automobilismo brasileiro

A Confederação Brasileira de Automobilismo anunciou luto oficial de sete dias após a morte de Sondermann. Enquanto isso, os pilotos brasileiros - de Fórmula 1, Stock Car e outras categorias - prestaram sua solidariedade ao companheiro através do Twitter. O locutor Galvão Bueno, da TV Globo, cobrou modificações na pista do Autódromo de Interlagos, em São Paulo.

Confira o boletim médico divulgado nesta segunda-feira:

O Hospital São Luiz informa que o piloto Gustavo Sondermann deu entrada na Unidade Morumbi às 14h25 de 03 de abril de 2011, após acidente durante prova automobilística realizada no Autódromo de Interlagos.

Ainda ontem, após exames clínico, neurológico, funcional e de imagem, foram constatados no paciente traumatismo craniano grave, hemorragia cerebral difusa e fratura de primeira vértebra cervical. Frente às lesões apresentadas, foi concluído pela equipe médica que não havia indicação para tratamento cirúrgico e que o quadro neurológico era irreversível. Imediatamente iniciou-se o protocolo de investigação de morte encefálica (Lei nº 9434 de 06 de fevereiro de 1997), que consta de dois exames clínicos realizados por equipes diferentes e um exame de método gráfico, no qual é utilizado o doppler transcraniano para avaliação de fluxo cerebral.

Hoje, 04 de abril de 2011, o protocolo foi concluído e às 10h00 foi declarada a morte encefálica do paciente.      

veja também