MENU

Mourinho diz que não gosta quando torcedores do Real gritam seu nome

Mourinho diz que não gosta quando torcedores do Real gritam seu nome

Atualizado: Segunda-feira, 28 Março de 2011 as 10:53

Receber a ovação da torcida de um dos maiores clubes de futebol do mundo deixaria qualquer pessoa envaidecida, mas não o técnico português do Real Madrid, José Mourinho. Ele até agradece aos madridistas, mas afirmou em entrevista a um programa de televisão da Espanha neste domingo que prefere que seus jogadores sejam incentivados.

- Não me agrada que o Bernabéu cante meu nome - disse o treinador, de acordo com o site do jornal esportivo espanhol "Marca".

Perguntado se a goleada de 5 a 0 sofrida para o Barcelona, no Camp Nou, em 30 de novembro do ano passado, pelo Campeonato Espanhol desta temporada, foi um pesadelo para ele, Mourinho negou:

- Os momentos positivos, como a semifinal com o Inter de Milão em Barcelona (vitória do time catalão por 1 a 0 na partida de ida da Liga dos Campeões da Europa de 2009/2010), alimentam mais a minha motivação do que os negativos. Foi um dos melhores momentos da minha vida (no segundo jogo, em Milão, o Inter venceu por 3 a 1 e se classificou para a final).

Ele revelou o que disse a seus jogadores após a goleada sofrida para o Barça no primeiro turno do Espanhol:

- Nós não íamos ficar ali e que teríamos a possibilidade de encontrá-los em momentos mais importantes.

Agora, os dois grandes rivais que disputam o título espanhol farão a final da Copa do Rei e ainda podem se encontrar nas semifinais da Liga dos Campeões da Europa. O treinador procurou tirar o peso desses confrontos com o Barcelona, dizendo que nada acontecerá se o Real Madrid perder em todos:

- Seria injusto, porque trabalhamos bem, mas seria consequência lógica do esporte. O difícil de verdade é chegar a abril e estar lutando pelas três (competições). Só acontece conosco, Barcelona, Manchester e Inter e creio que com ninguém mais. Significa que estamos fazendo muito bem as coisas e os detalhes decidirão.

  Mourinho acrescentou que não acredita que haja doping no futebol, a não ser em fatos isolados, e respondeu por que protege tanto seus jogadores:

- São minha família, é minha gente. Se não os protejo o que faço? Ensiná-los a cobrar pênaltis? Eles o fazem melhor do que eu. Eu os ensino a jogar coletivamente, a formar um grupo e que sintam que têm um líder por trás para protegê-los.    

veja também