MENU

Muricy lamenta o fechamento do Maracanã

Muricy lamenta o fechamento do Maracanã

Atualizado: Sexta-feira, 27 Agosto de 2010 as 3:17

O fechamento do Maracanã para obras visando a Copa do Mundo de 2014, a partir do dia 8 de setembro, repercutiu da pior maneira possível nas Laranjeiras. Após o treinamento da manhã desta sexta-feira, a chateação era evidente durante as entrevistas coletivas e todos no Fluminense foram unânimes ao se sentirem prejudicados pela decisão da CBF e da Ferj na noite quinta-feira.

De volta ao Tricolor após um ano e meio, Washington precisou de apenas três jogos – Atlético-PR, Inter e Vasco – para sentir novamente a força do torcedor no estádio e lamentou bastante a perda daquele que é apontado por ele como “palco do Flu". Segundo o Coração Valente, a ausência do Maracanã pode fazer a diferença na disputa pelo título.

- Vai pesar. Nos últimos anos, este é o melhor desempenho do Fluminense no Brasileiro. Infelizmente, agora vamos ficar sem nossa casa, sem nosso palco. As coisas estão indo bem, a torcida tem enchido o estádio e, de repente, vai fechar. Tudo bem que está fechando para a Copa (de 2014), mas infelizmente não vamos poder contar com ele, com a torcida lotando o Maracanã. Somos um time que está sendo vencedor em casa. Vamos ter de achar outro lugar e vencer. Se continuasse aberto, tenho certeza de que receberia de 60 mil para cima por jogo.

Vai prejudicar os times do Rio. O Cruzeiro e o Atlético-MG sem o Mineirão são exemplos disso. A cada jogo estão em um estádio diferente, não se acostumam, tudo é diferente" Muricy Ramalho, técnico do Flu Muricy Ramalho seguiu a mesma linha de raciocínio de seu artilheiro. Citando os exemplos dos mineiros, que têm tido campanhas irregulares desde o fechamento do Mineirão, o treinador se mostrou triste e resignado com a situação.

- Recebi com tristeza (a notícia). O Maracanã faz parte da história. Vai prejudicar os times do Rio. O Cruzeiro e o Atlético-MG sem o Mineirão são exemplos disso. A cada jogo estão em um estádio diferente, não se acostumam, tudo é diferente. Ficamos tristes, mas temos que entender o outro lado. Se é por motivo de segurança, temos que aceitar. Com certeza, o prejuízo é enorme.

O treinador evitou se aprofundar também sobre as justificativas apresentadas para o fechamento do estádio.

- No futebol do nosso país é difícil ter alcance de tudo. Damos a opinião que achamos, mas é complicado ter certeza de tudo. Acho que o prejuízo vai ser grande. O resto nós não sabemos.

O Fluminense ainda não se pronunciou sobre a “nova casa” após o dia 8 de setembro. Até lá, o Tricolor encara ainda o São Paulo, domingo, às 18h30m (de Brasília), no Maracanã, pela 17ª rodada do Brasileirão, e o Palmeiras, na próxima quarta.

Por Cahê Mota e Richard Souza Rio de Janeiro

veja também