MENU

Murray dá o troco em Federer e leva o bicampeonato no Masters de Toronto

Murray dá o troco em Federer e leva o bicampeonato no Masters de Toronto

Atualizado: Domingo, 15 Agosto de 2010 as 7:48

Teve sabor de revanche. E, de quebra, valeu um bicampeonato. O verdadeiro teste de paciência que se tornou a final do Masters 1.000 de Toronto por conta das interrupções causadas pela chuva coroou o britânico Andy Murray neste domingo. Ele conquistou o título ao vencer o suíço Roger Federer, vice-líder do ranking mundial, por 2 sets a 0 (duplo 7/5) em jogo cheio de quebras de serviço. Em duas horas e quatro minutos de jogo, o número 4 do mundo devolveu a derrota sofrida em janeiro, na decisão do Australian Open, quando Federer levou a melhor.

Murray beija o troféu do Masters 1.000 de Toronto após vencer decisão contra Federer

(Foto: agência Reuters)   O bicampeonato de Murray, que havia vencido no Canadá no ano passado, foi a primeira conquista do britânico no ano e o seu quinto troféu em Masters, igualando a marca do brasileiro Gustavo Kuerten e do sérvio Novak Djokovic, que também são pentacampeões.

Para chegar à final, Murray derrotou o número 1 do mundo, Rafael Nadal, por 2 sets a 0, em um confronto de total domínio do britânico. Já Federer tirou Djokovic após duas horas e 22 minutos de um jogo intenso, vencendo por 2 sets a 1. Desde que foi campeão na Austrália, Federer disputou apenas a final do Masters de Madri e foi mal em Roland Garros e Wimbledon, caindo uma posição no ranking. Com o título, Murray fatura U$ 443.500 (cerca de R$ 780 mil) e mil pontos no ranking, enquanto Federer leva U$ 222.000 (cerca de R$ 390 mil) e 600 pontos. No entanto, as pontuações não são suficientes para provocar mudanças de posição.

Em set equilibrado, Murray leva a melhor

A chuva atrasou em 25 minutos o início da partida. Mas logo ela deu uma trégua, e Federer começou sacando para marcar o primeiro ponto. No entanto, Murray quebrou o serviço do suíço e já abriu 1/0. Defendendo o serviço no game seguinte, fechou novamente para ampliar. Não satisfeito, aproveitou o mau começo de jogo de Federer e quebrou novamente o serviço do vice-líder do ranking.

Federer tentou, mas não deu (Foto: agência EFE)   Mas Federer, após a pausa entre o terceiro e o quarto games, retomou a concentração e fechou em 40/0, vencendo seu primeiro game no jogo e quebrando o serviço de Murray. O saque tornou-se uma arma importante para o suíço, que forçou no fundamento e evitou que o britânico conseguisse boas devoluções. Mais um game vencido, e a diferença caía para 3/2.

Provando não ter saído do jogo, Murray venceu mais um, mas Federer logo encostou, deixando 4/3. Sacando no oitavo game, o número 4 do mundo confirmou seu serviço, mas o suíço também evitou uma quebra, novamente forçando no primeiro serviço, o que dificultou a recepção do adversário. E foi justamente neste fundamento que Murray pecou no décimo game, cometendo uma dupla falta e permitindo que Federer quebrasse seu serviço, empatando o jogo em 5/5.

Um pequeno intervalo, e mais uma quebra. No décimo primeiro game, talvez o mais disputado até então, Murray levou a melhor. Embalado, voltou a vencer e fechou o primeiro game em 7/5. Já eram passados 46 minutos de jogo em Toronto.

Chuva vira protagonista, e britânico leva o título

A chuva castigou a quadra (Foto: agência Reuters) No segundo set, Federer confirmou seu serviço, e Murray, apesar das duas duplas faltas cometidas, também. Na sequência, o suíço voltou a vencer. O cronômetro marcava uma hora e dois minutos de partida quando a chuva voltou a aparecer. Foi quase uma hora de paralisação, mas o tempo fez bem a Murray, que, na volta, venceu por 40/0 e deixou tudo igual. Mais um pouco de interrupção por conta da chuva, e o jogo voltou. Outra vez o britânico venceria, agora quebrando o saque de Federer.

A chuva parecia que não iria permitir o fim do jogo. No entanto, após um longo tempo de espera, ela parou e foi possível continuar a decisão. Dessa vez, quem voltou melhor foi o suíço. Apesar das ótimas defesas de Murray, Federer conseguiu quebrar o serviço, empatar e, em seguida, confirmar para virar em 4/3. Os dois trocaram vitórias em games até Murray novamente conquistar uma quebra e deixar em 6/5.

Era a hora de fechar. Com o saque a favor, ele precisou de habilidade e principalmente de paciência para derrotar Federer no último game. Após salvar um break point, ele acertou dois aces seguidos, levou um ponto, fez outro e, enfim, fechou em 7/5 para se sagrar bicampeão.

    Por GLOBOESPORTE.COM Toronto, Canadá

veja também