MENU

Murtosa 100%: auxiliar de Felipão é pé-quente no banco de reservas

Murtosa 100%: auxiliar de Felipão é pé-quente no banco de reservas

Atualizado: Quarta-feira, 31 Agosto de 2011 as 11:32

Murtosa tem 100% de aproveitamento à frente do

banco de reservas do Verdão (Foto: Agência Estado)

  Luiz Felipe Scolari levou um gancho de dois jogos do STJD , mas não tem tantos motivos para se preocupar. Com o auxiliar Flávio Teixeira, o Murtosa, no banco de reservas, o Palmeiras teve 100% de aproveitamento em jogos oficiais desde que a dupla retornou ao Brasil, em julho de 2010. Nesta quarta-feira, contra o Botafogo, no Engenhão, o auxiliar tem a chance de aumentar essa escrita na última partida de suspensão do comandante. Se depender do pé-quente, a torcida alviverde já pode se animar.

Na atual passagem, Murtosa comandou o time no 2 a 1 sobre o Santos, em julho de 2010, pelo Brasileirão, e nas recentes vitórias por 3 a 1 sobre o Vasco (Sul-Americana) e 2 a 1 diante do Corinthians (Brasileiro). Contra o Peixe, Felipão viu o jogo das tribunas e ainda não havia assumido oficialmente. Contra o Vasco, optou por ficar nas cabines porque o auxiliar era o desafeto Roberto Braatz, o mesmo que causou sua expulsão no jogo com o Atlético-MG e a consequente suspensão. Já no Dérbi, ele cumpria a primeira partida de gancho.

- Eu escalo o time, quem monta todo o resto, dá as instruções, é o Murtosinha. Meu amigo baixinho, de bigode. Ele vai ser o chefe. Quero ver entrevistar o Murtosa, porque o baixinho é rápido – brincou Felipão, na semana passada.     A experiência no banco de reservas está longe de ser a primeira de Murtosa no Palmeiras. Entre substituições a Felipão e jogos como técnico efetivo, o braço direito do comandante já dirigiu o Verdão em 15 jogos, com nove vitórias, um empate e cinco derrotas. O aproveitamento de 62,2% é considerado bom.

Nas duas passagens como técnico, Murtosa teve desempenhos opostos. Em 2000, logo após a saída de Luiz Felipe Scolari para o Cruzeiro, o auxiliar assumiu o comando na Copa dos Campeões e levou o Palmeiras ao título, que deu vaga direta na Taça Libertadores de 2001. Em cinco jogos no torneio, o time venceu três, empatou um (ganhando depois nos pênaltis) e perdeu outro. O título veio com vitória sobre o Sport.

Em 2002, o panorama foi outro. Contratado sem Felipão, Murtosa aceitou o desafio de comandar o Palmeiras no Campeonato Brasileiro logo depois de ter conquistado a Copa do Mundo com a Seleção Brasileira. Em quatro jogos, o desempenho foi muito ruim: uma vitória e três derrotas, duas delas por goleada. Os 5 a 1 sofridos diante do Paraná, em Curitiba, selaram o fim da breve passagem do auxiliar, que pediu demissão 18 dias depois de sua contratação.

Agora a situação é bem mais tranquila. Com Felipão coordenando e Murtosa gritando no banco de reservas, o Verdão voltou a jogar bem e já está na cola dos primeiros colocados do Campeonato Brasileiro. Se vencer o Botafogo, o auxiliar vai “devolver” o time ao chefe com uma vaga entre os classificados para a Taça Libertadores do ano que vem. O “baixinho” está com moral dentro do clube.

- Quando o Fernandão entrou e fez o gol, sabíamos que ele tinha uma jogada aérea. O gol foi espetacular. Sorte do treinador, foi o Murtosa que o colocou – avisou Felipão, parabenizando o pé-quente.

Felipão confia no 'pé-quente' Murtosa para comandar o Palmeiras (Foto: Piervi Fonseca / Agência Estado)            

veja também