MENU

Na altitude para chegar ao topo: Inter vai a campo pela ponta do Grupo 6

Na altitude para chegar ao topo: Inter vai a campo pela ponta do Grupo 6

Atualizado: Quarta-feira, 16 Março de 2011 as 9:43

Se é para encarar a altitude, que seja para chegar ao topo. O Inter ficou mais perto do céu nos 2,5 mil metros acima do nível do mar em Cochabamba e vai a campo às 19h30m desta quarta-feira, contra o Jorge Wilstermann, disposto a encontrar uma nuvem que ofereça um pouco de sombra no calorão da Libertadores. Uma vitória recolocará o time gaúcho na liderança do Grupo 6 do torneio continental.

E mais: encaminhará a conquista da chave e, com algum otimismo vermelho, até a melhor campanha da fase de grupos, já que dois dos três jogos restantes na primeira etapa serão realizados dentro do Beira-Rio. É por isso que o jogo no estádio Felix Capriles, embora não seja decisivo, é importantíssimo em termos de posicionamento final para o clube gaúcho antes do mata-mata. Uma derrota, por outro lado, seria trágica.

Contra um adversário que até agora não mostrou grande força, rebaixado à segunda divisão boliviana e na lanterna da chave na Libertadores, com duas derrotas em dois jogos, o técnico Celso Roth descartou a antes prometida junção de Bolatti com Wilson Matias. O argentino será acompanhado por Guiñazu e Tinga, mas a grande personagem pré-jogo é Oscar, em partida decisiva para sua permanência entre os titulares do Inter.

O GLOBOESPORTE.COM acompanha a partida em Tempo Real. O SporTV transmite ao vivo para todo o Brasil. O jogo será apitado pelo paraguaio Enrique Cáceres, auxiliado por seus compatriotas Nicolás Yegros e César Franco.

Jorge Wilstermann : os bolivianos jogam a vida. Não resta alternativa ao Jorge Wilstermann que se excetue à vitória sobre o Inter. O time de Cochabamba está seis pontos atrás do Jaguares e a quatro de Inter e Emelec. Mesmo que vença, seguirá na lanterna, mas ao menos poderá manter alguma esperança de classificação, já que ainda receberá mexicanos e equatorianos em Cochabamba.

Inter : é um daqueles jogos que definem o tamanho do conforto de um time. Se vencer, o Inter reassumirá a liderança do Grupo 6 e terá tudo para conquistar o título, já que recebe o próprio Jorge Wilstermann e também o Emelec nos três jogos restantes – restará apenas o Jaguares para ser visitado. O empate renderá a necessidade de vitórias em casa, e o mesmo vale, com aperto ainda maior, para o caso de uma derrota. O Inter entra na terceira rodada com quatro pontos, dois atrás do Jaguares.

Jorge Wilstermann : o técnico do time boliviano, Marcelo Neveleff, tem um elenco recheado de estrangeiros. Só de argentinos, são sete. E também há três brasileiros, três prováveis titulares contra o Inter: o goleiro Mauro Machado, o defensor Jusselio da Silva e o atacante Fábio Mineiro. A provável escalação tem Mauro Machado, Lucas Fernández, Juan Ignacio Brown, Jusselio da Silva e Juan Carlos Ojeda; Ezequiel Abregú, Cristian Machado, Víctor Hugo Melgar e Luis García Uribe; Jesús Toscanini y Fabio Mineiro.

Inter : Celso Roth mantém a estrutura do 4-5-1, usada desde o ano passado. O treinador decidiu deixar Oscar como um dos titulares do meio. Nei, Kleber e Guiñazu, ausentes contra o Caxias, retornam ao time. Na zaga, Rodrigo continua como companheiro de Sorondo, com Índio no banco. Escalação: Lauro, Nei, Rodrigo, Sorondo e Kleber; Bolatti, Guiñazu, Tinga, Oscar e Zé Roberto; Leandro Damião.

Jorge Wilstermann: Verón poderá estar em campo. Não o velho Verón, craque do Estudiantes, mas seu irmão de 24 anos, Iani Martín. O meio-campista, recém-chegado ao Jorge Wilstermann, não deve começar a partida, mas é uma atração por si só. A expectativa colorada é de que a única semelhança com o irmão dele seja o sobrenome.

Inter: Oscar vem em visível crescimento no Beira-Rio e agora tem um de seus maiores desafios. Se ele for bem contra o Jorge Wilstermann, vai ser difícil sair do time. O técnico Celso Roth faz questão de testar o garoto em uma partida mais casca grossa. Nos treinos, o meia tem destruído, com enorme capacidade criativa e precisão nos chutes a gol.

Marcelo Neveleff, técnico do Jorge Wilstermann : "Será um jogo difícil. Para mim, o Internacional é o melhor time da América. A altitude afeta, mas não é como em La Paz"   Celso Roth, técnico do Inter: "Vai ser um jogo difícil, porque o adversário está numa situação complicada. Jogou duas partidas fora de casa e perdeu as duas. Agora, vai jogar em casa e tem a possibilidade de fazer o resultado. Virá com tudo que tem direito para cima do Internacional, que precisará saber enfrentar. Será um jogo de competição, de choque físico, e temos que nos adaptar à partida. Teremos um confronto bem claro de Libertadores, e temos que sair dessa situação. "      

veja também